20.6 C
Uberlândia
sábado, maio 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosCertificação do tratamento de sementes

Certificação do tratamento de sementes

Com o uso de alta tecnologia, o tratamento é realizado com precisão na inserção da dose correta do produto, semente a semente, proporcionando eficiência e economia.

Thiago Alberto Ortiz
thiago.ortiz@prof.unipar.br

Silvia Graciele Hulse de Souza
silviahulse@prof.unipar.br

Franciely S. Ponce
francielyponce@gmail.com
Engenheiros agrônomos, doutores em Agronomia e professores – Unipar (campus Umuarama – PR)

Os desafios enfrentados pela agricultura atualmente exigem constante investimento em soluções tecnológicas que, unidas ao manejo assertivo, podem elevar o patamar da produção da cultura.

O tratamento de sementes garante uniformidade de plantas
Fotos: Shutterstock

Muitos produtores rurais têm investido demasiadamente em fertilizantes, tratos culturais e tratamentos fitossanitários aéreos, no entanto, a qualidade das sementes, por vezes, é negligenciada.

Sendo assim, o Tratamento de Sementes Industrial (TSI) se destaca como uma das práticas mais importantes e com excelente custo-benefício ao produtor rural, sendo considerado por muitos como indispensável para a agricultura, visto que proporciona proteção e estímulo para que cada semente tratada e semeada consiga germinar, desenvolver raízes e se estabelecer de maneira sadia e vigorosa.

Tecnologia

Uma boa semente tratada deve possuir genética avançada, alta qualidade fisiológica e produtos e alta performance, aplicados com precisão e uniformidade. Dentre os principais benefícios deste processo, destaca-se a diminuição de riscos de danos fisiológicos, maiores índices de germinação e vigor, além de alta uniformidade e distribuição ideal dos produtos nas sementes.

O tratamento de sementes

As sementes são o ponto inicial da lavoura, apresentando relação direta com a produtividade, por isso, merecem atenção especial. O material genético utilizado deve ser escolhido estrategicamente, levando em consideração as características e o histórico da área de cultivo em relação à ocorrência de pragas, doenças e nematoides.

No entanto, é importante lembrar que de nada adianta escolher a melhor cultivar, se essa não tiver condições de expressar o seu máximo potencial produtivo no início do seu desenvolvimento, a qual é considerada como uma das fases mais críticas. Por isso, realizar o tratamento de sementes é uma etapa fundamental para uma lavoura produtiva.

Sementes tratadas são aquelas nas quais foram aplicados defensivos agrícolas com o objetivo de suprimir e/ou controlar a incidência de agentes biológicos nocivos que possam atacar as lavouras nos seus estádios iniciais.

Ao realizar o tratamento de sementes, protege-se o potencial produtivo, promovendo o controle contra pragas (como insetos e ácaros), doenças (como fungos e bactérias) e nematoides nos primeiros estádios fenológicos do ciclo da cultura.

TSI ou on farm?

Existem basicamente duas maneiras para realizar o tratamento de sementes, podendo ser o tratamento industrial (TSI), em ambiente especializado, ou o on farm, realizado na própria fazenda.

Apesar do baixo custo, a operação on farm pode oferecer riscos ao aplicador, ao meio ambiente e à cultura. A sub ou superdosagem pode comprometer o controle dos alvos e o desenvolvimento das plantas, podendo selecionar indivíduos resistentes aos ativos utilizados.

Sendo assim, para realizar o tratamento on farm, é preciso ter os equipamentos adequados, seguir as normas de segurança e fazer um constante acompanhamento da dose aplicada.

Por sua vez, o TSI é um processo que consiste em aplicações desses defensivos de forma automatizada, por meio de equipamentos de alta tecnologia, representando uma revolução no manejo da lavoura, trazendo ainda mais qualidade, segurança e conveniência para esse processo.

Na maior parte dos casos, o tratamento de sementes é feito com a associação de fungicida, inseticida e nematicida, mas há também outros produtos que podem ser utilizados, como agentes de proteção a herbicidas, corantes, inoculantes, micronutrientes, reguladores de crescimento, e revestimentos de sementes.

Dentre as principais vantagens do TSI estão:

Ü Eficiência na aplicação uniforme da dose do produto, sem que haja desperdícios, subdosagens ou efeito fitotóxico às sementes tratadas;

Ü Garantia de qualidade do processo, já que é realizado por equipamentos adequados, com precisão na aferição de massa, no controle de fluxo das sementes, nas bombas de alta precisão, controle do volume aplicado, além da possibilidade de aplicação de diversas formas (pó, líquido, óleo, entre outros), resultando em uniformidade da cobertura das sementes;

Ü Manutenção do estande e uniformidade de plantas, contribuindo ao aumento da produtividade da lavoura;

Ü Influencia positivamente na fisiologia da planta, gerando um melhor enraizamento e maior resistência a pragas;

Ü Manutenção da qualidade das sementes com relação à germinação e ao vigor;

Ü Minimização da quantidade de ingrediente ativo por área, quando comparado às aplicações foliares de produtos;

Ü Maximização da precisão no volume de defensivo utilizado para o tratamento das sementes;

Ü Estabelecimento do número adequado de plantas para determinada área;

Ü Oferecimento de maior praticidade e segurança, pois reduz os riscos de intoxicação dos operadores por conta da menor exposição aos produtos;

Ü Minimização do risco de contaminação ambiental, uma vez que o descarte das embalagens é realizado de forma apropriada, seguindo a legislação;

Ü Praticidade e rapidez, uma vez que as sementes já chegam tratadas na propriedade.

Custo-benefício

Além de todos esses benefícios, o processo possui um ótimo custo-benefício. Desta forma, a Syngenta assumiu a responsabilidade de ajudar o produtor rural no momento da escolha do melhor tratamento de sementes.

O TSI é uma das práticas mais importantes para sucesso agrícola
Foto: Shutterstock

Com a Certificação de Tratamento Excelente, o produtor receberá sementes de alta qualidade, com a certeza que a sementeira lhe entregará comodidade e controle para o início do plantio.

Para receber a certificação é imprescindível que alguns requisitos sejam cumpridos, demonstrando a qualidade do trabalho realizado e a responsabilidade que a empresa possui com o produtor rural e o meio ambiente, através do cumprimento da legislação para o trabalho que é desenvolvido no tratamento das sementes.

Sendo assim, alguns tópicos precisam ser analisados, a fim de obter aprovação:

(1) Dosagem correta;

(2) Porcentagem de germinação – dentro dos padrões exigidos;

(3) Manutenção em dia – regulagem adequada das máquinas para um bom funcionamento;

(4) Cuidado com os funcionários – por meio do cumprimento das leis trabalhista e das medidas de segurança, treinamento para o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), além do investimento em mão de obra qualificada;

(5) Proteção ambiental – através do cumprimento das normas ambientais, assim como o descarte de resíduos e embalagens, e a garantia de sustentabilidade; e

(6) Conformidade com a legislação – mediante a verificação de alvarás, licenças e normas.

Excelência

A certificação assegura excelência em todas as etapas do processo de TSI, como o respeito ao meio ambiente, a destinação correta de resíduos, a segurança dos trabalhadores, o treinamento e a capacitação da equipe da UBS, a utilização de EPIs, o atendimento a toda a legislação referente à atividade de tratamento de semente industrial.

Além disso, os cuidados com a revisão e manutenção das máquinas de TSI, a qualidade das sementes enviadas ao TSI, a assertividade dos lotes analisados, dosagem aplicada nas sementes, garantindo aos produtores rurais o controle adequado de pragas e doenças na fase de implantação das lavouras.

Selo de certificação Seedcare

Criado pela Syngenta, o Selo de certificação Seedcare é um sistema que certifica os multiplicadores de sementes que atingem todos os padrões de qualidade e segurança no tratamento de sementes.

As empresas certificadoras precisam comprovar que fazem a manutenção adequada em seus centros de tratamento, que são capazes de entregar assertividade adequada da dose aplicada, e que o tratamento é feito em sementes com a qualidade exigida pela legislação vigente.

Além disso, elas precisam ser aprovadas em inspeções onde são verificadas suas condições de segurança do trabalho, bem como de proteção ao meio ambiente, além de possuírem as permissões legais necessárias para operação.

Por fim, elas precisam comprovar que estão implementando melhorias propostas nas inspeções anteriores. Assim sendo, ao atestar a excelência no tratamento industrial de sementes, o selo de certificação Seedcare será emitido pela Syngenta.

Para isso, a Syngenta conta com o Seedcare Institute, em Holambra (SP), o qual é um centro de pesquisa, de desenvolvimento, de capacitação e de difusão tecnológica que beneficia sementeiras, produtores, comunidade científica, especialistas da área e toda a rede do campo. Com foco no estudo do tratamento de sementes industrial, a estrutura inclui equipamentos e profissionais que realizam vários serviços.

Confira como o processo é cuidadosamente realizado, a fim de proporcionar à semente um tratamento de qualidade e uniforme.

Figura 1. Etapas do tratamento de sementes por meio da Certificação de Tratamento Excelente.

Fonte: Syngenta Seedcare.

Pesquisas constantes

A fim de buscar por tratamentos de sementes cada vez mais eficazes, a pesquisa é constante, ao criar um produto voltado ao tratamento, as formulações são submetidas à testes para a avaliação dos critérios de qualidade específicos às culturas indicadas.

Desde a coloração até o desprendimento de poeira, fluidez, plantabilidade e facilidade de limpeza do equipamento de aplicação. Porém, os especialistas do Seedcare Institute vão além, a fim de produzir formulações personalizadas para o tratamento de diferentes culturas, para diferentes localidades, por meio combinações de produtos.

Para isso, há contato entre especialistas e clientes, visando entender as necessidades específicas em todos os campos, objetivando a obtenção de formulações personalizadas com polímeros, pó secante, inoculantes e nutrientes, a fim de atender as necessidades do mercado.

Viabilidade

Cada vez mais utilizado pelos agricultores do mundo inteiro, o TSI tem se consolidado como uma prática favorável à geração de resultados satisfatórios. Essa tecnologia pode impedir a disseminação de fungos causadores de doenças para novas áreas de cultivo e colaborar para o desenvolvimento de plantas vigorosas e sadias.

Além disso, tal prática protege a semente desde o contato inicial com o solo até o começo do crescimento das plantas. Assim, sementes que poderiam ser ameaçadas por pragas ou até interferências climáticas, conseguem crescer e desenvolver mais fortes e uniformes.

ARTIGOS RELACIONADOS

Calhas trazem benefícios à produção de morangos

    Mário Calvino Palombini Engenheiro agrônomo e consultor técnico da Vermelho Natural vermelhonatural@hotmail.com Os processos de produção de morango evoluíram de um sistema de produção no solo...

Milho safrinha: Cresce em área plantada e produtividade

Autores Felipe Augusto Moretti Ferreira Pinto Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e pesquisador da Epagri/Estação Experimental de São Joaquim felipemoretti113@hotmail.com Henrique Novaes Medeiros...

Ácidos húmicos: Mais disponibilidade de nutrientes ao tomateiro

Autores Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica...

Substâncias húmicas são aliadas do desenvolvimento radicular do feijoeiro

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro Universitário...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!