19.6 C
Uberlândia
domingo, maio 19, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesConsultores alertam produtores “não dá pra errar com a venda da soja”

Consultores alertam produtores “não dá pra errar com a venda da soja”

Projeção de queda de preço para 2025 e baixa comercialização do grão são assuntos de evento técnico em Mato Grosso

Foto: João Pedro Coelho

Crop AgroComunicação | Assessoria Proteplan

Cuiabá, capital mato-grossense e também do agronegócio brasileiro reúne pesquisadores, produtores rurais, consultores e profissionais da área agrícola até quinta-feira, 11 de abril, durante o Master Meeting Soja 2024. Considerado um dos principais eventos técnicos da cadeia da soja, que ocorre logo depois da colheita do grão, discute temas relevantes para a produção da oleaginosa, apresenta novas tecnologias e revela resultados de pesquisas.

No primeiro dia de palestras (09.04), o público de mais de 600 pessoas (presencial e online), teve a oportunidade de obter dados atualizados da última safra e participar de debates sobre temas relacionados à economia agrícola brasileira e estatística de produção, com projeções e atualizações de mercado, cenários de movimentação de preços, demandas e estoque de commodities, com renomados analistas.

Em comum, os especialistas Carlos Cogo (Cogo Inteligência em Agronegócio) e Alexandre Mendonça de Barros (MBAgro) trouxeram alertas importantes para o setor produtivo, principalmente relacionados à comercialização das safras, em que muitos agricultores seguram a venda da produção e podem perder oportunidades de negócios.   

De acordo com o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA), mesmo depois de quase um mês do término da colheita da soja nas principais regiões produtoras do Estado, as negociações do grão ainda avançam de forma lenta em Mato Grosso. Até o começo da semana, pouco mais de 55% da produção da safra 23/24 foram negociados. O atraso na comercialização se estende para a próxima safra. A venda da produção da safra 24/25, que ainda será cultivada a partir de setembro deste ano, segue o mesmo posicionamento, tendo um dos mais baixos registros de vendas dos últimos cinco anos.  

Carlos Cogo apresentou projeções de valores da soja tendo como base o município de Sorriso, em Mato Grosso. Segundo análise, a saca deve atingir o menor preço a partir de março de 2025, em torno de R$105,00. A queda chama a atenção para a necessidade do agricultor vender a produção de forma bem planejada.

“A La Niña vai pegar praticamente toda temporada no Brasil, grande chance de elevar a produção, ou seja, elevar os estoques globais e manter pressão negativa sobre os  preços. No curto prazo, tem pouco a ser feito por parte do produtor, a não ser começar agora as vendas antecipadas, fixações de preços, principalmente quando surgir bons momentos em função da La Niña. Boa gestão e estratégia de venda dos grãos devem fazer parte do cronograma do produtor para próximo ano, não estocar os grãos é uma boa iniciativa, para justamente evitar encontrar no primeiro semestre do ano que vem o cenário mais provável que é prémios, bens negativo dos portos, preços caindo mais do que a própria plantação futura e tentar alocar e realocar a maior parte possível da sua comercialização para o segundo semestre do próximo ano”, explica Dr. Carlos Cogo, pós-graduado em Agronegócios pela Universidade Federal do Paraná, com especialização em Análises de Mercados.

Para Alexandre Mendonça de Barros, engenheiro agrônomo e doutor em Economia Aplicada, o dever de casa para o produtor é sempre assegurar a venda parcial de grãos para cobrir os custos de produção.

“Não há um cenário muito construtivo para formação de preços de soja. Obviamente pode não chover, pode quebrar a safra americana, mas neste momento o ambiente climático é neutro nos Estados Unidos e no caso da América do Sul, com La Ninã, a aposta internacional é que a safra brasileira seja melhor e que o cerrado tenha uma produção mais significativa. O produtor não precisa vender tudo, de maneira alguma! Mas eu já me moveria na intenção de fazer trocas. Temos visto alguns custos bem interessantes diante do preço futuro da soja, ainda que muito mais baixo”, comenta o palestrante Dr. Alexandre Mendonça de Barros.

Com objetivo de trazer discussões enriquecedoras sobre o mercado da soja, o principal evento do setor também fortalece a integração dos participantes.

“A palestra tanto do Alexandre quanto do Carlos Cogo, foram palestras muito importantes para mostrar a realidade mundial da produção, do consumo de grãos e impacto do nosso planejamento, pensando na próxima safra, na rentabilidade e na viabilidade da agricultura mato-grossense’, comenta Orlins Matos de Souza, consultor em agronomia.

MASTER MEETING SOJA 2024 

O Master Meeting Soja 2024 é uma realização da empresa de pesquisa Proteplan e iniciou a sua jornada nesta terça-feira (9) com muita novidade e informação no Gran Odara Hotel. O encontro, que vai até quinta-feira (11), vai contar com mais de 30 palestrantes renomados e 13 painéis técnicos. 

Com participantes de 11 Estados: Mato Grosso, Bahia, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Rondônia, Pará, Tocantins e Piauí, o evento traz palestrantes e painéis importantes com profissionais, tanto do Brasil quanto do exterior. Alguns dos temas que vão ser abordados nos próximos painéis são: Sustentabilidade, Saúde do Solo, Podridão de grãos e Doenças Foliares.

Confira a programação:

10 de abril – quarta-feira 

Período matutino – a partir das 8h: 

Painel Fisiologia

Dr. Alencar Zanon – UFSM

Dr. Geraldo Chavarria – Professor e Pesquisador em Fisiologia

Painel Nematoides

Dra. Claudia Arieira – Agronema

Dra. Andressa Machado – UEM

Dra. Tatiane Zambiasi – Agromax

Período vespertino – a partir das 14h

Painel Sustentabilidade

Dr. Marcos Fava Neves – Doutor Agro / USP / FGV / Harven

Painel Saúde do Solo

Dr. Fábio Bueno – Embrapa 

Dr. Fernando Andreote – Esalq – USP

Dr. Telmo Amado – UFSM

Dra. Daniela Floss – Valent BioSciences

Painel Carbono: conceitos e atualizações

Dr. Daniel Ruiz Potma – UEPG

11 de abril – quinta-feira 

Período matutino – a partir das 8h:

Painel Plantas Daninhas

Dr. Giliardi Dalazen – UEPG

Dr. Alfredo Paiola – UFPR

Dr. Elieser Gheno – Coacen

Painel Pragas

Dr. Germison Tomquelski – Desafios Agro

Dr. Dominic Reisig – North Carolina University

Dr. Clerison Perini – Proteplan

Período vespertino – a partir das 14h:

Painel Podridão de Grãos

MSc. Alana Tomen – Proteplan

Dra. Luana Belufi – Fundação Rio Verde

Painel Doenças Foliares

Dr. Sérgio Brommoschenkel – UFV

MSc. Ivan Pedro – Proteplan

Eng. Fabiano Siqueri – Proteplan

Painel Inovação

Dr. Paulo Hermman – PH Advisory Group

ARTIGOS RELACIONADOS

Suplementação luminosa da Nortel recebe chancela científica da Esalq/USP pela qualidade dos grãos de soja e milho

Pesquisadora da Esalq/USP avalia que a solução de suplementação luminosa proporcionou melhor interpretação dos estímulos de luz, conforme a composição das plantas

Soluções para doenças, pragas e o bioestímulo da soja no interior de SP

Evento anual da Fazenda Cerrado de Cima, no sudoeste paulista, foca amplo portfólio de fungicidas e inseticidas da companhia Sipcam Nichino.

Como superar os desafios do cultivo no inverno

Geadas e restrição de insumos pedem atenção do produtor e manejo planejado.

Soluções eficientes para combater insetos sugadores

Pragas que atacam a seiva das plantas estão entre os fatores que mais provocam redução de produtividade nas lavouras, demandando manejo inteligente e tecnologias efetivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!