17.6 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosEssencialidade da análise do solo

Essencialidade da análise do solo

 

Maurício Dominguez Nasser

Engenheiro agrônomo, mestre e pesquisador da APTA Regional Alta Paulista/Adamantina (SP)

mdnasser@apta.sp.gov.br

Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock

O solo requer nutrientes suficientes para o desenvolvimento e a produção das plantas. Portanto, deve ser feita uma avaliação para o agricultor conhecer o grau de fertilidade dos solos e monitorar a presença de elementos tóxicos em excesso, que podem causar danos à lavoura e ao ambiente.

Por onde começar

Inicialmente, é importante comentar sobre o que é análise de solo, pois uma vez eu estava conversando com um produtor rural sobre sua lavoura, e ao perguntar se ele tinha feito análise de solo, rapidamente ele me respondeu: “Fiz a análise e não deu nematoide na terra“.

Neste momento, percebi o quanto era importante o modo de formular uma pergunta, pois o produtor não respondeu errado. Para verificar a presença do nematoide se faz também uma amostragem do solo, e se analisa a presença ou ausência da praga.

Quando se fala em nutrientes para plantas existentes no local, o agricultor solicita uma análise química do solo, junto a um laboratório credenciado para este fim. Por meio do solo coletado, de preferência numa área homogênea, o produtor rural encaminha a amostra de solo ao laboratório, e por várias metodologias de extração consegue identificar a quantidade existente de cada elemento químico presente no solo e que pode ser essencial para o crescimento e produção das plantas, os chamados nutrientes. A técnica também identifica elementos que prejudicam a produção vegetal, por exemplo, a presença do alumínio.

Análise de rotina

Uma análise química de solo mais simples, ou comumente chamada análise de rotina, caracteriza o solo quanto à quantidade de matéria orgânica (muito importante para a vida do solo e, claro, sua fertilidade), o pH (fator que indica a acidez ou a alcalinidade do solo, e colabora na decisão de realizar ou não a calagem), o teor de fósforo, potássio, cálcio, magnésio (nutrientes para as plantas), e a acidez potencial, que é a soma dohidrogênio e alumínio presentes neste solo.

Estes elementos interferem de forma negativa na fertilidade do solo, e ocupam o espaço que poderia ser dos nutrientes.Além disso, a análise caracteriza a capacidade de troca catiônica (CTC) deste solo, que pode ser considerado um indicativo de potencial de fertilidade que o solo possui. Isso quer dizer que quanto maior o valor, maior a chance de o solo reter os nutrientes próximos às raízes das plantas.

Pela CTC calcula-se o calcário necessário para implantação de uma lavoura ou para sua manutenção. E, por último, a análise de rotina mostra a saturação de bases (V%), que indica o quanto dos elementos favoráveis para o desenvolvimento das plantas está presente naquele momento no solo. O valor varia de 0 a 100%, e quanto mais próximo de 100%, mais fértil é o solo.

Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock

Análises variadas

Os laboratórios também realizam análises de solo que identificam o teor de outros elementos considerados essenciais para o desenvolvimento das plantas, como: enxofre, zinco, boro, cobre, ferro e manganês, assim como pode ser solicitada análise do teor de alumínio presente no solo.

O teor de nitrogênio, outro nutriente muito utilizado pelas plantas, ainda não pode ser verificado pela análise de solo, pois não se tem uma metodologia consolidada e que possa identificar de forma segura o elemento.

Outras análises mais específicas, como o teor de sódio e silício presentes no solo, também são realizadas nestes laboratórios.Caso o agricultor necessite de uma análise para verificar se é uma área mais argilosa ou mais arenosa, a recomendação é solicitar uma análise física do solo.

Interpretação

A interpretação de qualquer análise de solo deve ser feita por um engenheiro agrônomo, e sempre que possível com o histórico da área a ser cultivada, sem se esquecer que uma análise de solo de qualidade se origina de adequada amostragem.

 

Essa matéria você encontra na edição de abril 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

A força da mulher no setor do café

Encontro anual da IWCA - Aliança Internacional das Mulheres do Café do Brasil - será realizado durante a Semana Internacional do Café 2019, que ocorre em Belo Horizonte entre 20 e 22 de novembro

Algas marinhas – Benefícios sem fim às folhosas

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

Multitécnica – Cultivando 25 anos de soluções para o agronegócio

Comemorando 25 anos, a Multitécnica não para de inovar, e está sempre em busca de aperfeiçoamento e excelência em resultados para o campo A Multitécnica...

Bioestimulante ajuda no aumento de produtividade da soja

Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma e doutora em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) robertacamargoss@gmail.com Fernando Simoni Bacilieri Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando em Agronomia...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!