25.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasFederarroz pede habilitação em ação contra importação de arroz pelo governo

Federarroz pede habilitação em ação contra importação de arroz pelo governo

Segundo a entidade, a medida do avilta diversos princípios constitucionais vigentes no país

Crédito Paulo Rossi Divulgação

A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) apresentou pedido da habilitação na Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido cautelar de urgência, ajuizada pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA), que protocolou uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF). A ação se refere às Medidas Provisórias 1.217/2024 e 1.224/2024, bem como das Portarias Interministeriais MDA/MAPA/MF 3/2024 e 4/2024 e, ainda, da Resolução GECEX 593/2024, relacionadas à importação de arroz pelo governo federal.

Conforme texto do departamento jurídico da entidade, em suma, os textos legais contestados na ação judicial são referentes à regulamentação jurídica do Governo Federal que possibilita a importação, de até um milhão de toneladas de arroz beneficiado ou em casca, por meio de leilões públicos, ao longo do ano 2024. “Verifica-se que, em tese, a medida do Governo Federal possui o condão de aviltar diversos princípios constitucionais vigentes no país, tais como, por exemplo, o da proporcionalidade; da livre iniciativa, concorrência, e da liberdade no desenvolvimento da atividade econômica; da defesa do consumidor; da política agrícola planejada e executada com a participação do setor produtivo; da política agrícola que leve em conta preços compatíveis com os custos e garantia de comercialização; do meio ambiente equilibrado; entre outros, de modo que a medida judicial busca suspender, de imediato, a realização dos leilões, haja vista a possível inconstitucionalidade dos textos legais do Poder Executivo Federal”, destaca a nota.

Desde o início da crise climática no Rio Grande do Sul, a Federarroz, endossada por outras entidades da cadeia produtiva, incluindo indústria e varejo, alertam que não há necessidade de importação do cereal. Com mais de 90% da colheita realizada, o setor enfatiza que não há risco de desabastecimento do produto aos consumidores e garantem que a produção tem condições de manter abastecido o mercado interno. A nota da entidade finaliza reiterando o compromisso dos arrozeiros em garantir a segurança alimentar do povo brasileiro, apesar das incontáveis dificuldades e instabilidades enfrentadas pelos produtores rurais e pelo Estado gaúcho.

ARTIGOS RELACIONADOS

Como lidar com os substratos para mudas hortícolas

  Talita de Santana Matos Pós-doutoranda em Agronomia/Ciência do Solo " Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) Elisamara Caldeira do Nascimento Professora do curso técnico em...

Novos secadores chegam ao mercado

  Adilio Flauzino de Lacerda Filho Doutor em Energia na Agricultura, professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e consultor técnico alacerda@ufv.br A secagem é o método universal,...

Substratos para produção de mudas florestais

David Pessanha Siqueira Mestre em Produção Vegetal "Universidade Estadual do Norte Fluminense pessanhasdavid@hotmail.com Na produção de mudas, o substrato é responsável por dar sustentação, bem como fornecer...

Arroz preto ou vermelho? Atrativos chamam atenção

As cultivares de arroz de grão preto SCS 120 Ônix e de grão vermelho BRS 902 são as que contêm os maiores teores de compostos bioativos, sendo as mais eficientes em neutralizar radicais livres. Essa é a conclusão dos testes realizados pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com a Embrapa Arroz e Feijão (GO), com o objetivo de identificar a presença de compostos capazes de prevenir o envelhecimento das células do organismo humano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!