24.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiFertilizantes e aminoácidos - A chave para a tuberização da batata

Fertilizantes e aminoácidos – A chave para a tuberização da batata

Autores

Jeisiane Andrade
Engenheira agrônoma e mestranda em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ/USP
Paulo Roberto de Camargo e Castro
Doutor e professor Titular ESALQ/USP
prcastro@usp.br

A batata é um alimento de grande importância mundial, sendo atualmente a terceira fonte alimentar mais importante do mundo, superada apenas pelo arroz e o trigo. No Brasil, o consumo médio por habitante ao ano atinge 15 kg, o que é considerado baixo quando comparado aos 70-80 kg por habitante ao ano de países como Alemanha e Holanda.  Atualmente, Minas Gerais é classificada como o maior produtor de batata do Brasil.

O cultivo dessa cultura pode ser realizado em até três safras – a safra das águas, da seca e a de inverno. Logo, a planta de batata é muito sensível ao déficit hídrico. Mesmo pequenos períodos de estiagem comprometem o sucesso da lavoura e, para tanto, a irrigação é recomendada em regiões e/ou estações com distribuição irregular de chuvas.

Porém, o excesso de água também pode afetar a produção, por reduzir a aeração do solo, favorecer a maior incidência de doenças e lixiviar nutrientes móveis. Sendo assim, a demanda de água pelas plantas é dependente das condições climáticas, da cultivar e do sistema de cultivo, principalmente.

O estádio inicial do desenvolvimento da batata começa com o plantio da batata-semente brotada até a emergência das hastes principais, o que ocorre após sete a 14 dias após o plantio. Nesse período, a planta utiliza a reserva de nutrientes da batata-matriz, já que o sistema radicular ainda não se desenvolveu.

Adubação

 Posteriormente, no decorrer do ciclo, após ter esgotado as reservas da batata-matriz, a cultura demandará de nutrientes externos, o que faz da adubação via solo ou foliar imprescindível.

A adubação a ser realizada é baseada na análise de solo e exigências nutricionais da cultura. A forma de aplicação pode ser via solo. Em sua maioria, a adubação de base é feita via solo, e a adubação foliar é realizada para complementar, com o objetivo corrigir deficiências de macro e micronutrientes, uma vez que foi detectado sintoma nas folhas e confirmado por análise foliar em laboratório.

A aplicação de nutrientes via foliar é rápida e eficiente, superando a adubação de solo, porém, não a substitui. Sendo assim, a adubação foliar é uma estratégia adicional para a aplicação de fertilizantes nas culturas.

Os aminoácidos

Afim de potencializar o desempenho da cultura, o uso de aminoácidos tem sido empregado junto à fertilização foliar ou fertirrigação. Os aminoácidos estão presentes em todas as plantas, cujas principais funções são a síntese de proteínas, o preparo de substâncias reguladoras do metabolismo vegetal e também é ativador do metabolismo fisiológico.

Além disso, os aminoácidos possuem a função de interação com a nutrição da planta, aumentando a eficiência da absorção, transporte e assimilação de nutrientes. Em condições ideais de cultivo as plantas são capazes de sintetizar os aminoácidos por ela demandados, empregando o nitrogênio mineral que absorvem do meio, utilizando, para isso, diversas enzimas e energia, mas em momentos de estresse (excesso ou escassez de chuva, ataque de pragas e doenças) e em determinadas fases do desenvolvimento das plantas, como germinação, florescimento e tuberização, a exigência por energia é alta.

O nível de proteínas pode, então, ficar aquém do necessário, podendo tornar as plantas mais suscetíveis a agentes externos (como insetos-pragas e microrganismos fitopatogênicos), o que pode comprometer a produtividade da cultura.

Como alternativa a esse déficit, os fertilizantes foliares com adição de aminoácidos suprem a quantidade necessária para que a planta possa ter melhores condições para se desenvolver perante esses estresses, estimulando o melhor desempenho sob condições adversas.

Ainda, retardam o envelhecimento das folhas, prolongando o ciclo produtivo e reduzindo a fitotoxicidade de alguns herbicidas, fungicidas e herbicidas. Assim, a aplicação de aminoácidos, via solo ou foliar, proporciona economia energética.

Maior absorção

Os aminoácidos, aplicados via solo ou foliar, podem ser absorvidos e rapidamente transportados para as demais partes das plantas e empregados na formação de proteínas ou como matéria-prima, sem o gasto energético inicial, deixando uma provisão de energia para as demais demandas do vegetal.

Os aminoácidos aumentam a eficiência da absorção, transporte e assimilação dos nutrientes, devido ao seu poder complexante. Sendo assim, a associação de nutrientes minerais e aminoácidos é uma boa opção. A complexação de cátions com aminoácidos gera moléculas que são neutras eletricamente, melhorando a absorção e redistribuição dos nutrientes.

Resultados na bataticultura

Quanto ao cultivo de batata, pode-se considerar que o uso dos produtos com aminoácidos, via fertirrigação ou foliar, não irá aumentar o custo de produção. A aplicação pode ser conjunta com outras operações e os aminoácidos adicionados às caldas de defensivos (desde que haja compatibilidade).

Experimentos realizados em Espírito Santo do Pinhal (SP) em lavoura de batata, por fertirrigação, mostram que o uso de formulado comercial contendo aminoácidos e micronutrientes levaram a aumentos importantes de produção, entre 45 a 52%, dependendo da dose empregada.

Também se observou que o uso dos produtos com aminoácidos melhora a produção de tubérculos de melhor classificação para comercialização, diminuindo, assim, as batatas fora da padronização estabelecida.

Pesquisas mostram que aplicações ao longo do ciclo, aos 30, 50 e 60 dias de idade das plantas, mostraram bons resultados. Outras observações mostram que o uso apenas aos 40 dias favorece a tuberização, melhorando a produtividade. Além desse, outros estudos realizados na cidade de Perdizes (MG) mostraram que o uso de soluções à base de aminoácidos, extratos vegetais e micronutrientes favoreceram a produtividade de batata em 14%, se comparado a um plantio sem o uso desses produtos.

Portanto, no cultivo da batata, o uso de aminoácidos aplicados juntamente com os fertilizantes proporcionará rápido desenvolvimento inicial da cultura, melhor enraizamento, favorecimento da tuberização (maior número de tubérculos e ganho de peso), melhoria na qualidade dos tubérculos, além de maior tolerância ao estresse.

Em função da regulação do balanço hormonal e nutricional do vegetal, além da diminuição do efeito dos estresses pelos quais a planta passa durante o ciclo, capazes de reduzir o potencial de produção do cultivo, os aminoácidos podem ser de utilidade, por possibilitarem essa homeostase.

ARTIGOS RELACIONADOS

Crise hídrica acende sinal de alerta no campo

Com falta de chuva e reajuste de 52% na tarifa elétrica, produtores precisam ter atenção ...

O fósforo e as substâncias húmicas

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

Algas melhoram enraizamento e arranque inicial das plantas

  O uso de substâncias bioestimulantes é amplamente difundido entre os agricultores para favorecer o crescimento inicial das plantas. No mercado brasileiro, são muitas as...

Bioestimulante – Alternativa para fortalecer as plantas

Considera-se bioestimulante qualquer substância ou microrganismo aplicado nas plantas visando melhorar a absorção e o aproveitamento dos nutrientes, a tolerância a estresses abióticos e a produção e sua qualidade, independentemente de seu conteúdo nutricional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!