19.6 C
Uberlândia
segunda-feira, fevereiro 26, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosFormação de mudas de beterrabas em bandejas

Formação de mudas de beterrabas em bandejas

O método de produção de mudas em bandejas é bastante comum e importante na agricultura.

Débora Fernanda Oliveira Batista
deborah15fernandaoliveira@gmail.com

Rubia Cilene Lourenzoni
rubialourenzoni@gmail.com
Técnicas em Agropecuária

Luis Lessi dos Reis
Doutor e professor – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais – Ifsuldeminas, Campus Machado.
luis.reis@ifsuldeminas.edu.br

O método de produção de mudas em bandejas é bastante comum na agricultura, principalmente em cultivos que demandam cuidados intensivos. Algumas das principais vantagens desse processo na produção de mudas de beterraba, incluem:

Mudas de qualidade garantem lavoura mais uniforme

Melhor controle fitossanitário: a produção de mudas de beterraba em ambientes controlados em bandejas pode reduzir a exposição das mudas a patógenos do solo, diminuindo a incidência de doenças e pragas.

Redução de espaço: o método de bandejas permite uma alta densidade de plantio em uma área pequena de trabalho, como estufas ou viveiros.

Padronização: o uso de bandejas permite a uniformidade do tamanho e da forma das mudas, resultando em um lote mais padronizado. Isso facilita desde o transplantio até a colheita.

No formato ideal

O formato das bandejas facilita o manuseio das mudas, e também o transporte e o plantio. Essa praticidade não apenas minimiza o risco de danos, mas também otimiza o processo de transplante, mantendo a integridade das mudas.

Quando bandejas são utilizadas para cultivar mudas de beterraba, é possível ter mais controle sobre o ataque de pragas e doenças, mantendo um ambiente mais limpo. Além disso, ajudam a fornecer os nutrientes essenciais para as mudas desde o início, o que faz com que elas cresçam de maneira saudável. As bandejas também garantem que todas as mudas recebam a mesma quantidade de nutrientes, o que é importante para um crescimento uniforme.

Isso não só evita desperdícios de recursos, como também facilita a transição das mudas para o campo, onde terão um estabelecimento inicial e desenvolvimento melhor.

Técnicas inovadoras

A Instrução Normativa Conjunta (INC) nº 02/2018 estabelece diretrizes para a rastreabilidade de mudas em bandejas na agricultura. Essa normativa visa garantir a segurança e qualidade das mudas ao longo de sua produção, distribuição e comercialização.

Ao impor padrões de identificação e rastreamento, a INC 02/2018 promove uma gestão transparente, permitindo que informações cruciais sobre origem, variedade e condições de cultivo sejam acessíveis a produtores e consumidores.

Essa medida não apenas fortalece a segurança alimentar, mas também oferece ao produtor a garantia de uma produção de mudas de alta qualidade e livre de patógenos, dado que terá pleno conhecimento da procedência das bandejas.

Vale destacar que bandejas reutilizáveis, como as de isopor e polipropileno rígido, estão perdendo espaço devido aos problemas de sanidade associados a seu uso, tornando as bandejas descartáveis e feitas de materiais mais sustentáveis uma escolha mais favorável no cenário atual da agricultura.

Uma inovação tecnológica recente, caracterizada por sua sustentabilidade e menor custo para os agricultores, está ganhando espaço no mercado: a produção de mudas utilizando o método do “paper pot”, um recipiente fabricado com papel biodegradável, dispensando a utilização de solo.

Esse recipiente é preenchido com um substrato composto por casca de arroz carbonizada, turfa, vermiculita e adubo, que se dissolve gradualmente, à medida que as raízes das plantas crescem, conseguem romper o papel sem prejudicar seu sistema radicular.

Plantar diretamente com essa embalagem resulta em significativa economia de tempo durante o processo de transplante dessas mudas.

Eficiência do processo

A emergência das plântulas de hortaliças em bandejas e em substrato comercial é maximizada devido às melhores condições de germinação, pois as sementes, quando distribuídas em células individuais, minimiza a competição por espaço, luz, água e nutrientes entre as plântulas e permite o crescimento e desenvolvimento de raízes íntegras e bem distribuídas, que será a base de plantas estabelecidas e produtivas no campo.

Vale ressaltar que o uso de sementes de qualidade nessa etapa é primordial. Assim, os estandes serão mais uniformes, com maior número de mudas por unidade de área e com controle de pragas e doenças eficaz, pela facilidade de eliminar focos e realizar os tratos culturais necessários na fase inicial de estabelecimento das plântulas.

Além disso, reduz a necessidade de replantio e torna o processo de produção de mudas de beterraba ou de qualquer outra hortaliça eficiente, possibilitando o transporte, o manuseio dentro do viveiro, a comercialização, a praticidade de transferi-las para o campo no momento correto e a redução dos custos de produção.

Cuidados

As mudas produzidas em bandejas devem ser transportadas com cuidado para serem transplantadas, e principalmente, no momento correto. Geralmente, essa etapa se dá quando as mudas atingem de 7,0 a 10 cm de altura, possuem de quatro a seis folhas e ocorre entre 20 e 25 dias após a semeadura.

Assim, deve-se considerar o estado de desenvolvimento da muda, observando as folhas definitivas e o enraizamento pleno, de modo que as raízes estejam em todo o volume do substrato.

Deve-se realizar o desbaste, se necessário, entre 15 e 20 dias após a emergência, garantindo que vá para o campo apenas mudas sadias e desenvolvidas. Ao transportar, recomenda-se descarregar as bandejas de baixo para cima, evitando pisoteio, e evitar movimentos bruscos que possam provocar danos nas suas raízes e parte aérea.

Além disso, não colocá-las diretamente no solo, de preferência em bancadas livres de microrganismos, caso o plantio seja realizado em outro momento. Ainda, o local em que as mudas serão colocadas de forma definitiva deve estar bem preparado.

No caso de canteiros, o solo deve estar preparado e a irrigação deve estar disponível.

Evolução

Atualmente, existem variados tipos de bandejas reutilizáveis ou descartáveis, constituídas de materiais diversos, como plástico (polietileno) rígido, plástico (polietileno) flexível e até mesmo de fibras vegetais.

No caso de bandejas reutilizáveis, é necessário realizar a limpeza em local apropriado e atentar-se para a presença de fissuras que possam comprometer a higienização total do material.

Substrato

Outro ponto importante é certificar que todas as células possuem orifícios de dreno de água, para evitar o encharcamento do substrato. Considerar que a umidade do substrato tem um papel importante na determinação do crescimento das mudas, com isso, o manejo de irrigação deve ser consciente e eficiente.

Em condições de clima quente, as mudas são geralmente irrigadas três vezes ou mais por dia. O tempo seco e quente aumenta a necessidade de água, enquanto o tempo frio e nublado tendem a reduzir a necessidade de água.

Deve-se monitorar regularmente para manter níveis ótimos de umidade do solo, além de considerar a qualidade da água. O substrato deve apresentar qualidade físico-química necessária para o equilíbrio em quantidade de água e oxigênio para a germinação e desenvolvimento pleno das raízes.

Ainda, precisa ter uma pequena quantidade de nutrientes necessária para o arranque inicial da muda, o mesmo pode ser adquirido ou produzido, porém deve ser um material com sanidade e procedência.

Além da pequena quantidade de nutrientes presentes no substrato, deve-se fornecer mais, por meio da adubação e fertirrigação, preparando soluções nutritivas com fertilizantes solúveis individuais ou em conjunto e aplicando nas mudas.

Esta atividade exige cautela e conhecimento para não carecer ou exceder as quantidades de fertilizantes para cada etapa de desenvolvimento. E por fim, manter as instalações e equipamentos higienizados e íntegros para não propagar pragas e doenças.

ARTIGOS RELACIONADOS

Importância do magnésio e boro na produtividade e no ATR da cana

No Centro-Sul do Brasil, a colheita da cana terá início a partir de março de 2019. A produtividade da cana será reflexo das práticas culturais e influenciada fortemente pelas condições climáticas – regime pluviométrico e temperatura.

Produtos biológicos controlam nematoides em alface

Autores Carlos Antônio dos Santos Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) carlosantoniods@ufrrj.br Júlio Cesar Ribeiro...

Produtor de morango, qual o seu futuro?

Não resta qualquer dúvida de que o único caminho para que o futuro da cultura do morango sobreviva economicamente é o planejamento e o controle de quanto está produzindo.

Mudas de tomate: Melhor germinação com os ácidos húmicos

Talis Melo Claudino - Engenheiro agrônomo e mestrando em Agronomia - UNESP-FCA de Botucatu (SP) - t.claudino@unesp.br Rodrigo Ferrari Contin - Engenheiro agrônomo e mestrando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!