24.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosFósforo a lanço - Verdades e mitos da técnica

Fósforo a lanço – Verdades e mitos da técnica

Luis Fernando Gundim

Engenheiro agrônomo da Cia da Terra Agronegócios

luis.fernando@ciadaterra.com

Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock

A adubação a lanço não tem maiores inconvenientes entre os nutrientes nitrogênio (N) e potássio (K), mas em se tratando do fósforo (P) é uma prática ainda controversa e as opiniões divergem, faltando estudos mais recentes sobre a aplicação a lanço em diferentes condições de solo, clima e sistemas de produção.

O fósforo é um nutriente que apresenta efeito residual de longo prazo e, dessa forma, o resultado de práticas de manejo envolvendo este nutriente não pode ser plenamente compreendido pelo desempenho das lavouras no curto prazo. É preciso evitar conclusões imediatistas, e pensar um pouco mais sobre formas eficientes de manejar este nutriente na agricultura moderna.

Importante saber

Quando se fala sobre os “tipos de solo“, este é um assunto que merece atenção, pois pode ser influenciado por outros fatores, como: palhada, matéria orgânica, etc..

Porém, o solo arenoso tem como tendência responder melhor a este tipo de adubação pelo fato de ter partículas maiores e ser mais poroso. Assim, este nutriente se liga menos aos coloides, havendo a tendência do nutriente ficar somente na superfície, e por consequência, gerando problemas com o aumento da possibilidade de contato com calcário, tornando o P menos solúvel.

A difusão é dificultada porque necessita de umidade, e na superfície é onde o solo seca primeiro. Além disso, pode ocorrer o efeito dreno em camadas mais profundas do solo.

Vantagens

A adubação a lanço melhora o planejamento operacional do agricultor, agilizando o plantio - Créditos Shutterstock
A adubação a lanço melhora o planejamento operacional do agricultor, agilizando o plantio – Créditos Shutterstock

Em minha opinião,a adubação a lanço melhora o planejamento operacional do agricultor, agilizando o plantio e também a distribuição do nutriente no solo, visto que, aplicado na linha, o adubo concentra-se no lugar específico.

O fósforo é um nutriente essencial como parte de diversos compostos de estruturas importantes de plantas e como uma catálise na conversão de diversas reações bioquímicas importantes nas plantas. O fósforo se destaca especialmente por sua função de captura e conversão da energia do sol em compostos úteis de plantas.

Ele é um componente vital do DNA, a “unidade de memória” genética de todos os seres vivos. É também um componente de RNA, o composto que lê o código genético de DNA para construir proteínas e outros compostos essenciais para a estrutura da planta, produtividade de sementes e transferência genética. As estruturas de DNA e RNA são conectadas por ligações de fósforo.

O fósforo é um componente vital de ATP, a “unidade de energia” das plantas. O ATP se forma durante a fotossíntese, com fósforo em sua estrutura e processos do início de crescimento de mudas até a formação do grão e maturidade.

Portanto, o fósforo é essencial para a saúde geral e vigor de todas as plantas. Alguns fatores de crescimento específicos que foram associados com o fósforo são: desenvolvimento estimulado de raiz, resistência maior de talo e caule, formação melhorada de flores e produção de semente, maturidade de plantação mais uniforme e adiantada.

Quanto à aplicação do fósforo a lanço, a vantagem é a agilidade no plantio e distribuição do nutriente em toda a superfície do solo.

Com o fósforo na camada de 0 a 20 cm do solo, há:

ðMelhor desenvolvimento de raiz;

ð Facilidade na absorção, pela questão da deficiência hídrica, porque a camada superficial tem tendência de secar mais rápido (lembrando que o fósforo precisa de umidade no solo para ter melhor aproveitamento), e o fósforo é absorvido por difusão.

ðMenor contato com o calcário, que geralmente fica na superfície e o encontro dos dois dificulta o melhor aproveitamento do fósforo.

Custo

O custo é semelhante ao da adubação em linha, e sempre deve ser feito em cima de uma boa análise de solo, resultando, assim, em agilidade no plantio. Lembrando que o fósforo em superfície pode ser carregado pelo escorrimento superficial, perdendo o nutriente, e além disso, chegando aos mananciais de água. O efeito da contaminação de mananciais de água é o processo de eutrofização.

Por fim, regionalmente falando, áreas onde instalei o método de fósforo a lanço mostraram um aumento significativo de uma praga chamada percevejo castanho (Scaptocoriscastanea), exigindo mais estudos e testes para adequar a técnica.

Essa matéria você encontra na edição de outubro 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Consorciação com café – Sombra e água fresca garantidas

  A produção de café sombreada por florestas ou outras culturas que tenham esse efeito é classificada com vantajosa, uma vez que as interferências climáticas,...

Citros absorvem melhor os fertilizantes de liberação lenta

Daniel Lucas Magalhães Machado danielmagalhaes_agro@yahoo.com.br Fernando Simoni Bacilieri ferbacilieri@zipmail.com.br Engenheiros agrônomos e doutorandos em Produção Vegetal - ICIAG-UFU José G. Mageste Engenheiro florestal, Ph.D. e professor -...

Fósforo a lanço concentra nutrientes na camada de 0 a 20 cm de profundidade

Eduardo Zavaschi Ítalo Pinho Bruno Loman Estagiários do GAPE (Grupo de Apoio à Pesquisa e Extensão) da ESALQ-USP (Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz")   Resultados de pesquisas...

Embrapa apresenta tecnologias na Hortitec 2017

Para a 24ª edição da Hortitec " Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas que acontece em Holambra (SP), de 21 a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!