Inicio Revistas Grãos Inoculante para fixação biológica de nitrogênio na cana

Inoculante para fixação biológica de nitrogênio na cana

0
456

Autor

Sergio Zambon
Gerente sênior em Desenvolvimento Técnico de Produtos BASF
Daniel Medeiros
Especialista em Desenvolvimento Técnico de Produtos BASF

Nitrospirillum amazonense é uma espécie de bactéria encontrada na natureza que possui a propriedade de fixar nitrogênio do ar.  Embora 78% do ar seja composto de nitrogênio, sua composição na forma de N2 é indisponível para as plantas. As bactérias que possuem um complexo enzimático denominado de nitrogenase transformam este N2 gasoso em NH3, por meio de um processo redutor.

Algumas bactérias possuem esta funcionalidade – fixar nitrogênio – e a pesquisa da Embrapa trabalha na identificação e seleção destas bactérias fixadoras de nitrogênio não patogênicas às plantas e animais, e que, além disto, promovem o crescimento vegetal.

Nós as chamamos de bactérias do bem, diferenciando da ideia que estes microrganismos fabulosos podem interagir de forma benéfica com as plantas, favorecendo seu crescimento e desenvolvimento.  

Entenda melhor

Esta espécie – Nitrospirillum amazonense – foi primeiramente isolada de plantas crescidas na Amazônia brasileira, mas também de cereais e da própria cana-de-açúcar colhida em diferentes regiões do País. Esta coleção é mantida nas instalações da Embrapa Agrobiologia, sendo fonte das pesquisas de inoculação de cereais e culturas energéticas desde 1970.

A estirpe selecionada para este produto foi a BR11145, isolada da própria cana-de-açúcar e posteriormente testada na forma de inoculante microbiano por cinco anos, tanto em condições controladas como em campo, em diferentes tipos de solo, variedades e condições climáticas, que culminaram na sua recomendação técnica.

Este inoculante, que hoje tornou-se um produto comercial, tem o nome comercial de Aprinza.

Vantagens

Os benefícios decorrentes da inoculação com o produto Aprinza, que contém células vivas desta bactéria, estão relacionados ao crescimento e desenvolvimento da cana-de-açúcar, culminando em aumento do rendimento do cultivo.

Como inoculante que contém uma população elevada desta estirpe de Nitrospirillum amazonense, sua aplicação tem o objetivo de promover o crescimento e desenvolvimento vegetal, atuando ativamente na nutrição do vegetal. 

Além de fixar N2 atmosférico e disponibilizá-lo ao vegetal, esta estirpe também atua na produção de diferentes reguladores de crescimento, acelerando a germinação, o desenvolvimento radicular, o perfilhamento e, em consequência desta performance, aumenta o rendimento.

Culturas beneficiadas

Aprinza foi selecionado primeiramente para a cana-de-açúcar. Portanto, será recomendado para aplicação nesta cultura em seus diversos ciclos. O produto fará parte de uma solução mais completa para o cultivo de cana-de-açúcar, chamada de Muneo BioKit, que engloba o controle químico de pragas e doenças, efeitos fisiológicos positivos para a planta, promove o crescimento e fixação biológica de nitrogênio.

Com o Muneo BioKit, a aplicação dos produtos químicos e biológico será feita em conjunto, pois há alta compatibilidade na formulação entre os produtos. O componente químico promove a alta proteção contra o ataque de pragas e doenças e estimula a planta a produzir fitohormônios, além de aumentar a atividade de enzimas responsáveis pela transformação do nitrogênio, entre outros processos.

Já o componente biológico também estimula a produção de fitohormônios, promove o crescimento das plantas e faz a fixação biológica de nitrogênio. Como resultado, a cana tem um sistema radicular bem mais desenvolvido e vigoroso, um perfilhamento mais intenso, resultando em um potencial produtivo maior.

De maneira bem simplista, é como se aumentássemos a “boca” das plantas na mesma proporção em que aumentamos sua capacidade de “digestão”, elevando então sua produtividade.

Como implantar a técnica

Uma das preocupações no processo de desenvolvimento da solução foi que a interferência na rotina de trabalho do produtor fosse a menor possível. Desta forma, a aplicação é bem simples e não difere em nada do sistema utilizado atualmente pelos produtores de cana, independente do seu porte ou grau de tecnologia utilizado. A aplicação é feita por um spray de pulverização diretamente sobre os “toletes” ou “rebolos” de cana utilizados como “sementes”, durante o processo de cobrição.

Em 2018 foram colhidas 11 áreas experimentais onde a solução completa Muneo Biokit promoveu um ganho médio de 19% em relação ao tratamento realizado apenas com inseticida.

Por tratar-se de um lançamento, não há resultados em áreas comerciais para serem compartilhados, porém, os dados anteriormente citados refletem a realidade de campo.

Fique atento

No caso do Muneo BioKit, a compatibilidade entre químico e biológico é um ponto forte. Entretanto, a adição de outros produtos à calda de pulverização deve ser verificada previamente, pois podem causar perda de viabilidade do Aprinza e, portanto, devem ser evitadas sem uma validação prévia.

Assim, seguindo as orientações de bula e sempre que necessário e/ou em caso de dúvidas, procure um engenheiro agrônomo ou representantes BASF.

Mais importante que o custo da tecnologia são os benefícios que a mesma pode trazer aos agricultores. O investimento será muito bem recompensado com resultados positivos, como se segue.

↗ Maior potencial produtivo e longevidade para o canavial;

↗ Capacidade de produzir e induzir a produção de fitohormônios;

↗ Desenvolvimento do sistema radicular;

↗ Aumento da absorção de nutrientes;

↗ Maior crescimento de plantas;

↗ Supressão de nematoides;

↗ Tolerância a condições edafoclimáticas distintas;

↗ Controle de pragas e doenças em uma única aplicação.

SEM COMENTÁRIO