O fosfito, a produtividade e a floração do maracujazeiro

0
251

Keize Pereira Junqueira

Doutora em Fitopatologia e pesquisadora da Embrapa

Crédito Ana Maria Diniz
Crédito Ana Maria Diniz

O fosfito de potássio é considerado um indutor de resistência a doenças e seu efeito no controle de enfermidades já foi relatado para várias frutíferas. Em geral, a utilização de fertilizante foliar como indutor de resistência já foi verificada em várias culturas e mostrou resultados promissores em uva, nectarina, manga, limão, rosas e pepino.

No caso do maracujazeiro, em experimento de campo realizado no Distrito Federal, o tratamento com fosfito de potássio (K2O: 19% e P2O4: 26%), na concentração de 5 ml p.c./L de água, proporcionou a redução na incidência da bacteriose em folhas, mas não controlou a antracnose, verrugose e virose.

Sugere-se seu uso em pulverizações intercaladas com gesso agrícola a fim de alcançar maior eficiência no controle de doenças, proporcionando o incremento na produtividade.

Mais produtividade

Em trabalho realizado no Distrito Federal, a utilização do fosfito de potássio (K2O: 19% e P2O4: 26%) em pulverizações semanais na concentração de 5 ml p.c./L de água) proporcionaram aumento de cerca de três vezes na produtividade do maracujazeiro, quando comparado à testemunha.

Portanto, é uma técnica promissora e interessante.

Essa matéria você encontra na edição de março 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.