17.6 C
Uberlândia
sábado, junho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosPalestra discute novo conceito de mecanização do café

Palestra discute novo conceito de mecanização do café

Uma máquina pode substituir o trabalho de até 80 homens - Crédito Jacto
Uma máquina pode substituir o trabalho de até 80 homens – Crédito Jacto

 

A Jacto participou, no dia 30 de junho, do 6º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira. O evento antecedeu a abertura da Expocafé 2015, reunindo pesquisadores, professores universitários, técnicos e cafeicultores de diversos estados brasileiros. Esta foi a oportunidade para intercâmbio de informações sobre tecnologia e produção mecanizada.

Na ocasião, Walmi Gomes Martin, gerente de produto do segmento de colhedorada Jacto realizou a exposição “Novo conceito de mecanização para o café“, levando informações sobre o desenvolvimento e lançamento da K 3500, equipamento múltiplo de uso automotriz que pode trabalhar o ano todo nas operações da cultura cafeeira (colheita, pulverização e poda).

A K 3500 foi desenvolvida para atender os novos desafios da cafeicultura brasileira, com soluções tecnológicas para a mecanização de plantios tradicionais e adensamentos até 2,50 metros entrelinhas.

“O equipamento é um veículo automotriz no qual é possível acoplar individualmente os sistemas de colheita, pulverização ou poda e permite que as operações sejam realizadas em plantios tradicionais e adensados. Suas inovações permitem o aumento de pelo menos 20% na produtividade da colheita. Possui um sistema operacional integrado e um novo sistema de direção, capaz de reduzir em até 40% o tempo das manobras. A inovação também é capaz de trabalhar em terrenos com até 20% de declividade e possui dois reservatórios de 3.000 litros de capacidade total, que podem ser descarregados sem a interrupção da atividade. Com isso a máquina não para de colher para descarregar o café armazenado“, explica o gerente de produto.

O módulo de pulverização possui capacidade operacional de até quatro hectares por hora, e, juntamente com o módulo de poda, estão em fase de finalização.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

ARTIGOS RELACIONADOS

Palini & Alves consolida sua liderança em inovações no processamento de café

O ano de 2016 foi marcado na cafeicultura brasileira pelos grandes desafios de mercado impostos aos cafeicultores de arábica e conilon. Apesar dos preços...

Manejo do nitrogênio no milho safrinha

A aplicação de nitrogênio é fundamental para alcançar alta produtividade, porém, no campo ainda se realizam baixas adubações de nitrogênio Evaldo KazushiTakizawa Engenheiro agrônomo e consultor...

Novo fertilizante foliar blinda plantas da folha até a raiz

As variações climáticas são cada vez mais impactantes e determinantes na agricultura, e com isso o produtor vive uma constante luta contra as intempéries...

Mancha aureolada se espalha nas lavouras cafeeiras

  José Braz Matiello jb.matiello@gmail.com.br Saulo Roque Almeida Engenheiros agrônomos do MAPA/Procafé A bacteriose causada pela bactéria Pseudomonasseryngae é uma doença que causa danos ao cafeeiro nas regiões mais...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!