28.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosPanorama nacional da produção de maracujá

Panorama nacional da produção de maracujá

Foto: Shutterstock

Harleson Sidney Almeida Monteiro
harleson.sa.monteiro@unesp.br
Sinara de N. Santana Brito
sinara.santana@unesp.br
Engenheiros agrônomos e mestrandos em Agronomia/Horticultura – UNESP
Antonia B. da Silva Bronze
Doutora em Ciências Agrárias e professora – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
antonia.silva@ufra.edu.br

O cultivo do maracujá no Brasil tem ganhado expressividade e tem fortalecido em especial a fruticultura tropical, por se tornar, nas últimas décadas, uma cultura alternativa de produção e renda, sobretudo para produtores de pequena escala, como os da agricultura familiar.

Essa espécie frutífera tem atraído, nas últimas décadas, produtores de diversas regiões do Brasil, pela possibilidade de receita rápida e com produção praticamente durante todo o ano que a cultura apresenta.

Importância econômica

A cadeia produtiva das variedades de maracujá, que são produzidos e consumidos no mundo inteiro, no Brasil tem se movimentado anualmente uma renda de mais de R$ 1,5 bilhão no campo, que em geral são os pequenos produtores os maiores fornecedores do fruto para o mercado.

Em números totais, no ano de 2021, no Brasil, de acordo com o IBGE – Produção Agrícola, a área destinada para o plantio de maracujá, foi de 45.089 hectares, obtendo produção de 683.993 toneladas de frutos, com produtividade de 15.529 kg/ha, gerando R$ 1.553.905 do valor de produção, e sendo responsável por mais de 80% da produção mundial de maracujá.

Variedades

Em território nacional, as espécies com maior expressão comercial e que ocupam mais de 90% das áreas plantadas pela cultura do maracujá são do Passiflora edulis e Passiflora alata, maracujá azedo e maracujá doce, respectivamente, ocupando cerca de 95% dos pomares comerciais, e sendo as variedades mais promissoras e utilizadas para o consumo in natura e para processamento (indústria).

Tendo em consideração o ranking de expressividade na produção do maracujazeiro, as regiões do Brasil que mais se destacam são: nordeste (476.006), sudeste (80.569), sul (73.273), norte (39.275) e centro-oeste (14.870) em toneladas de frutos de maracujá, devido ao comportamento adaptável do fruto a diversas condições de solo e clima, permitindo que ocorra o cultivo da espécie de Norte a Sul do País.

Tecnologias

O Brasil, com produtividade média acima dos 15 mil kg/ha, tem a região sul do País como a mais tecnificada no contexto da produção de maracujá, chegando a 20.337 kg/ha, sendo responsável por mais de 130% da produtividade nacional. O Estado de Santa Catarina é o maior produtor da região, segundo dados do IBGE.

Contudo, vale ressaltar que a região nordeste, apesar de ser a maior produtora do fruto, principalmente pela maior produção de frutos de maracujá estar concentrada basicamente nos Estados da Bahia e Ceará, tem enfrentado grandes problemas fitossanitários acometendo os cultivos, ocasionando forte redução ao longo dos anos na produtividade.

Crédito: Depositphoto

Atualmente, esta tem sido a quarta região em produtividade, com 14.785 kg/ha do fruto, que ainda assim, corresponde a 97% da produtividade nacional, indicando a importância desta no cultivo da frutífera.

O Estado da Bahia, apesar de possuir vários polos de produção, enfrenta dificuldades em fortalecer a cultura e organizar os produtores da região, principalmente pela falta de políticas públicas e investimento.

No entanto, o Sul, que é o terceiro em produção do fruto, é o mais produtiva, sendo puxado substancialmente pelo Estado de Santa Catarina, com uma produtividade de 25.161 kg/ha de frutos de maracujá, colocando-o acima da média regional e nacional, reflexo do avanço na tecnificação e no controle dos problemas fitossanitários na produção, nos últimos anos.

Demanda

A produção de maracujá é uma atividade de grande importância social e econômica, por ter demanda tanto para o consumo in natura quanto indústria, em todas as regiões e Estados do Brasil, sendo o maior exportador do mundo.

A cultura é bastante apreciada e tem grande aceitabilidade pelo mercado de frutas frescas, onde concentra 60% da produção, sendo fornecido para os mercados atacadistas e varejistas.

Esse apreço é devido as suas características nutricionais, por ser um fruto rico em sais minerais e vitaminas A, C e do complexo B, além da qualidade de seus frutos, aroma e sabor, que também são atrativos dessa cultura.

A demanda do fruto para a indústria de processamento corresponde a 40% da produção, que tem preferência principalmente pelos frutos com alto rendimento de polpa e elevado teor de sólidos solúveis, principalmente para a produção de sucos concentrados e prontos para beber (sendo o terceiro suco mais produzido no Brasil) e outros derivados, além das indústrias alimentícia, farmacêutica, medicinal e de cosmético.

O Estado de São Paulo tem a maior demanda desse fruto, devido sobretudo à rede logística de distribuição do CEAGESP (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo). Ressaltamos que as região nordeste, sudeste e centro-oeste, consomem anualmente cerca de 40 toneladas de frutos.

Produtividade

O sucesso da produção e produtividade do maracujazeiro no Brasil, sobretudo, se deve à grande importância socioeconômica que a cultura possui. E isso tem contribuído para que a área de cultivo seja expandida, e por predominarem cultivos em áreas de agricultura familiar, pela possibilidade de diferentes níveis de investimento inicial nesta cultura, o que possibilita ajustar o investimento à realidade de cada produtor.

Custo produtivo e retorno

O investimento tende a variar de R$ 15 mil a R$ 150 mil/ha, o que dependerá da estrutura utilizada, podendo ser a céu aberto ou em estufas.

Contudo, o retorno do investido é possível logo no primeiro ano de cultivo, já que as plantas de maracujazeiro iniciam sua produção entre o oitavo e décimo mês após o plantio, dependo da região e dos manejos empregados no cultivo.

A rentabilidade dependerá da produtividade obtida, da oferta e do preço que as frutas alcançaram ao longo do ano. Em um pomar comercial de maracujá, é possível plantar cerca de 1.600 plantas/ha, em um espaçamento entre plantas de 2,5 m, que poderá gerar uma produtividade de 8,0 t/ha/ano até mais de 100 t/ha/ano, em cultivo a céu aberto ou estufa, respectivamente.

Os preços de comercialização dos frutos a venda no atacado estão em torno de R$ 4,97 a R$ 6,35 kg, e a caixa variando de R$ 64,61 a R$ 82,55, apresentando um deságio de cerca de 30%, de acordo com a classificação, qualidade, demanda e oferta da fruta.

Realidade

Apesar da sua grandiosidade em produção e produtividade, o cultivo de maracujá no Brasil, apresenta pontos críticos, mas relevantes na cadeia produtiva que necessitam de ações técnicas e políticas públicas, como: atenção aos aspectos fitossanitários que a cultura necessita, principalmente para controlar o vírus de endurecimento do fruto (Cowpea aphidborne mosaic virus (CABMV)), que é de maior importante da cultura no Brasil, pelo seu alto potencial destrutivo e rápida disseminação, que está há mais de duas décadas afetando a produção, e não se tem espécies resistentes à virose.

Outra doença de grande importância que é causada pelo fungo de solo que ocasiona a murcha (Fusarium oxysporum f. passiflorae) é uma doença que ataca as raízes da planta; melhorar a colheita e a comercialização; estímulo ao associativismo.

O entrave para uma alta produção é a baixa incidência da população do maior polinizador natural da cultura, que são as mamangavas (Bombus), que têm acarretado queda na produção, exigindo mais mão de obra para realizar a polinização artificial nas flores.

No entanto, é uma cultura de grande potencial e importância para economia do País, exigindo novas pesquisas e investimentos, para que os problemas e os desafios do cultivo sejam resolvidos e alcançados. Hoje, tem se investido na produção de mudas em sacolas de polietileno, com substrato orgânico, em estufas com bancadas altas, para se evitar o fusarium, fungo de solo.

Dessa forma, o cultivo de maracujá no Brasil pode ser elevado no aspecto da produção e produtividade, lucratividade e controle fitossanitário, por meio do planejamento e da implementação de um plano de negócio bem estrutura, uma vez que a extensão rural é de suma importância na cadeia produtiva do maracujá.

ARTIGOS RELACIONADOS

Agrocinco – Referência em inovação para HF

  A Agrocinco já participou de pelo menos nove edições da Hortitec, quatro delas sequencialmente. Para Luiz Carlos da Silva Galhardo, diretor de vendas da...

Revolução digital na produção de sementes

São vários os setores da sociedade, como indústria, educação, saúde, neurociência, lazer entre outros,

Família faz sucesso com produção de queijos finos de cabra

As produtoras de Santo Antônio do Aventureiro aguardam o selo Sisbi para ampliar as vendas da agroindústria para outros estados do país.

Cultivo de seringueira para produção de borracha natural

O cultivo de seringueira, tanto para produção de borracha natural quanto de madeira (principalmente no Estado de São Paulo) no Brasil, vem se tornando uma boa opção de renda para produtores rurais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!