21.6 C
Uberlândia
sábado, abril 13, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesPontos de atenção na produção de ovos

Pontos de atenção na produção de ovos

Especialista compartilha dicas para potencializar o bem-estar das poedeiras

Entre as maiores preocupações dos produtores de ovos em todo o mundo, destaca-se o estresse térmico, uma vez que a exposição de galinhas poedeiras a temperaturas elevadas resulta impacto econômico direto com a redução da produtividade e o bem-estar.

De acordo com Jose Charal, Gerente Técnico de Monogástricos da ADM, as galinhas poedeiras são sensíveis ao estresse calórico e a principal resposta delas evidentemente é o impacto sobre a produção.

Créditos: Divulgação

“Observamos que quando estressadas a diminuição do consumo de ração é o fator mais evidente e, consequentemente, haverá a redução da produção de ovos. A diminuição no consumo de ração induz a outros problemas como a redução no peso corporal, a eficiência alimentar e a redução do tamanho e qualidade dos ovos produzidos durante e após o período de estresse”, observa.

O Gerente Técnico de Monogástricos da ADM destaca que, muito embora estes seriam os pontos visíveis, a redução no consumo de ração e o estresse calórico também promovem a redução da digestibilidade da dieta e diminuição dos níveis de proteína plasmática. “Observamos a redução na absorção de cálcio, que afeta diretamente na qualidade da casca e no tamanho dos ovos ou, em casos mais severos, na interrupção completa da produção de ovos”, pontua.

Estresse térmico – Charal alerta que o estresse térmico não só pode afetar o comportamento das galinhas, mas também induzir alterações endócrinas que afetam a permeabilidade intestinal, a resposta inflamatória e a funcionalidade gonadal.

“Sob condições de temperatura elevada, as aves alteram seu comportamento e homeostase fisiológica para priorizar a termorregulação. O aumento da perda de calor por radiação, convecção e evaporação por vasodilatação e transpiração são mecanismos que as aves usam para lidar com o estresse térmico. No entanto, as aves possuem um mecanismo adicional para promover a troca de calor que são os sacos aéreos durante a respiração ofegante”, detalha.

De acordo com o Gerente Técnico de Monogástricos da ADM, é importante observar que o aumento da respiração ofegante sob estresse térmico leva ao aumento do dióxido de carbono e ao pH mais alto no sangue, o que, por sua vez, reduz o bicarbonato para a mineralização da casca do ovo e aumenta os ácidos orgânicos, diminuindo ainda mais o cálcio ionizado no sangue.

Aditivos – Charal observa que, sob as condições adversas de ambiente, muitos fatores podem ser melhorados, mas para elevar a resistência fisiológica e de saúde das poedeiras precisamos adotar estratégias nutricionais adequadas para auxiliar no desempenho dos nossos planteis.

Dentro desta linha de trabalho, o Gerente Técnico de Monogástricos da ADM sinaliza que o uso de aditivos melhoradores de desempenho é de suma importância para minimizar os efeitos dos estresses de temperatura sobre as poedeiras nas suas diferentes fases de vida. “Possivelmente, a adoção do uso destes aditivos deva ser utilizada a partir dos primeiros dias de vida das aves, como a utilização dos extratos vegetais, que, além de auxiliar a digestibilidade das dietas, promovem sensível melhora nos padrões de imunidade das aves”, pontua.

A exemplo disso, estudos demonstram os efeitos positivos do óleo de cúrcuma associados a óleo resina de pimenta vermelha como um fator de melhora na imunidade e resistência aos estresses de temperatura durante as fases de cria e recria de poedeiras comerciais.

“Não se deve esquecer do equilíbrio na dieta, escolha correta dos ingredientes e as condições ambientais de criação, como qualidade da água. O mercado dispõe de muitas tecnologias que devem ser adotadas para melhorar as condições ambientais e de saúde das poedeiras comerciais. Estas ferramentas estão ao alcance dos nutricionista e produtores para auxiliá-los em diferentes estratégias nutricionais para superar as adversidades do setor com ganhos importante sobre o capital investido”, finaliza o Gerente Técnico de Monogástricos da ADM. 

ARTIGOS RELACIONADOS

Micronutrientes: Importantes para a produção do feijoeiro

Autores Adria Suzane Del Vale Gaspar Carla Beatriz Silva Camila Juliana Generoso Dominique dos Santos Casagrande Isnar Borges Campos Neto Júlia Letícia Martins Galdino Graduandos em Engenharia Agronômica - IFSULDEMINAS, Campus Muzambinho Felipe Campos Figueiredo - Doutor em Ciência...

Integração Lavoura

Palestra que integrava programação da Abertura Oficial da Colheita do Arroz ocorre no dia 11 de março

Manga fora de época: Como é possível produzir?

Com relação aos principais Estados produtores de manga, o Nordeste brasileiro tem destaque, sobretudo Pernambuco e Bahia, este último tendo liderado a safra 2017, com 438.603 toneladas produzidas, seguida por Pernambuco, com 241.914 toneladas.

Como usar as cadeias curtas na sua produção?

Como as cadeias curtas podem ajudar na produção agrícola e quais os seus tipos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!