27.7 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 22, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesRegiões cafeeiras do Brasil atraem amantes da bebida

Regiões cafeeiras do Brasil atraem amantes da bebida

Unindo a experiência turística à cafeicultura regional, seis estados se destacam por opções gourmet

Nesta quarta-feira, 24/05, celebra-se o dia nacional de uma das maiores paixões do brasileiro – o café, que dá início à manhã e acompanha ao longo do dia. Não é à toa que o Brasil, além de ser o principal produtor do grão no mundo, é também um dos seus maiores consumidores. Com origem etíope, as sementes do café foram levadas a diferentes países até que seu consumo se popularizasse por todo o mundo. E para quem deseja celebrar a bebida com experiências educativas, gastronômicas e até relaxantes, o Hurb indica os destinos nacionais conhecidos pela cafeicultura.

Rio de Janeiro – No sul do estado, o Vale do Café contempla 15 municípios fluminenses que, na década de 1860, chegaram a produzir 75% do café consumido em todo o mundo. A partir do aumento nas buscas dos amantes da bebida por opções gourmet, o vale já é considerado uma das cinco regiões mais atrativas do estado. Com muita história para contar, 30 fazendas locais são abertas à visitação, segundo informações da ABIH-RJ.
 
Minas Gerais – Cortando os municípios de Carmo de Minas e São Lourenço, a Rota do Café mineira atravessa a Serra da Mantiqueira por cerca de 35 km. Graças à combinação de altitude, solo e temperatura ideais, também chamado de terroir por aqueles que entendem do assunto, a região produz café do tipo arábico, um dos mais consumidos no mundo. Para aqueles que buscam experiências sensoriais alternativas, São Lourenço pode ser o destino mais atrativo da região. Na cidade, é possível relaxar durante um banho de banheira com aroma de café e massagem nos pés, além de ducha escocesa.

Bahia – O clima ameno encontrado nas altitudes da Chapada Diamantina propicia a produção de café também na Bahia, e aqui também criou-se uma variedade especial deste produto. Afinal, seis dos dez melhores grãos do país, segundo a premiação Cup of Excellence, são baianos. A avaliação anual que considera produtos de todo o mundo escolheu o produto da Fazenda Tijuco como o melhor café brasileiro.

São Paulo – Reconhecida pelo Ministério do Turismo, Serra Negra conta com a Rota Turística do Café, onde a Mata Atlântica divide espaço com os cafezais locais. O município oferece uma variedade de passeios que valorizam a produção dos seus cafés especiais, mas reúne outras atrações turísticas, como as visitas à destilarias, alambiques e cachoeiras da região.

Ceará – No sertão cearense, a Rota Verde do Café destaca-se pela produção do Café da Sombra. O plantio dessa variedade regional acontece em um rico solo umedecido pelo orvalho e foi assim chamado por não receber luz direta do sol. A Rota Verde passa por quatro municípios locais: Pacoti, Mulungu, Guaramiranga e Baturité.

Paraná – Esse foi mais um estado de grande contribuição para a história econômica do país, até que, entre os anos 1960 e 1970, duras geadas afetaram a produtividade do seu solo. Hoje, o Paraná retomou a cafeicultura, ainda que em menor escala, em nove municípios. Pela região, encontram-se experiências que exaltam o sabor do café, por exemplo, através de menus gastronômicos especiais. No Museu Histórico de Londrina, acontece anualmente a Semana do Café. Já na capital Curitiba, o Festival do Café reúne comerciantes e produtores locais da bebida.

E para compartilhar um pouco sobre as experiências de um barista especialista em latte art, o Hurbcast – programa da travel tech – recebeu o campeão na competição nacional Coffee in Good Spirits Emerson Nascimento, carioca que garantiu o primeiro lugar na premiação em 2017 e 2020.

ARTIGOS RELACIONADOS

Artista plástica Valéria Vidigal conta história de sucesso no café durante a Fenicafé 2024

Valéria falou sobre “Café & Arte: empreendendo no café de uma forma inovadora'

Milheto pode ser mais um aliado da indústria de biocombustíveis

Com o etanol, o Brasil está um passo à frente na corrida mundial pela redução das emissões ...

Como o Brasil se tornou líder mundial em celulose

São números impressionantes: em 2022, gerou 2,6 milhões de empregos diretos e indiretos, alcançou uma receita bruta de R$ 260 bilhões e bateu recorde de produção, ao atingir 25 milhões de toneladas de celulose, 11 milhões de toneladas de papel e 8,5 milhões de m³ de painéis de madeira.

Batata: Extremos marcam a produção

A produção brasileira de batata seguiu com resultados variando entre regiões produtoras, ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!