23.3 C
São Paulo
sexta-feira, julho 1, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Resistência do capim pé-de-galinha ao herbicida Glyphosate em cafeeiros

Resistência do capim pé-de-galinha ao herbicida Glyphosate em cafeeiros

 

Giovani BeluttiVoltolini

giovanibelutti77@hotmail.com

Larissa Cocato da Silva

Engenheiros agrônomos e mestrandos pela Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Joana Caroline D’arc de Oliveira

João Pedro de Miranda Silvestre

Graduandos em Agronomia – UFLA

Ademilson de Oliveira Alecrim

Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando ” UFLA

Crédito Cezar Araújo

A recorrência de plantas daninhas resistentes na agricultura é um problema que vem trazendo grande preocupação aos agricultores, profissionais da área e também pesquisadores das ciências das plantas daninhas. Isto porque as mesmas se mostram de difícil controle e impactam em maior custo de produção e redução de produtividade das áreas.

Em plantas de cafeeiro, já é notória a interferência de plantas daninhas no crescimento e desenvolvimento da cultura, que quando em competição por fatores essenciais ao desenvolvimento, como, água, luz, espaço e nutrientes, chegam a causar cerca de 77% de perdas às plantas.

O capim pé-de-galinha é o mais recente dos casos de resistência de plantas daninhas – Crédito Giovani Belutti Voltolini

Além da competição das plantas daninhas, o cafeicultor está lidando com um problema ainda mais sério, que é a resistência de alguns biótipos de espécies de plantas daninhas aos principais herbicidas utilizados, dificultando bastante o manejo destas nas áreas de cultivo.

A pressão de seleção, aliada a uma série de manejos e práticas errôneas, vem culminando em um aumento da quantidade destes biótipos resistentes, onerando assim o cultivo e, consequentemente, reduzindo a lucratividade do cafeicultor.

O cafeicultor deve associar diversos métodos de controle de ervas daninhas – Crédito Satis

Estas práticas incorretas se baseiam, principalmente, na recorrência de um mesmo mecanismo de ação de herbicidas, a não alternância de métodos de manejo, e também pela não utilização de formas de cultivo alternativos, como a adoção de plantas de cobertura, como a braquiária, ou cultivos intercalares à cultura, como leguminosas ou frutíferas.

Essa matéria completa você encontra na edição de outubro de 2018 da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

 

Ou assine

Inicio Revistas Grãos Resistência do capim pé-de-galinha ao herbicida Glyphosate em cafeeiros