27.1 C
Uberlândia
domingo, fevereiro 25, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosTecnologia TIB e automação na produção de mudas

Tecnologia TIB e automação na produção de mudas

A tecnologia TIB proporciona alta taxa de multiplicação de mudas e gera economia de 80% dentro do laboratório e 50% no campo

O Holandês Alewijn Broere já trabalha com clonagem de plantas desde 1991 e, em início dos anos 2000, ele teve acesso a uma nova tecnologia que vinha sendo desenvolvida em Cuba. A imersão temporária em biorreatores, também conhecido como TIB, sigla oriunda do nome em inglês “Temporary Immersion in Bioreactors”. Alewijn, então diretor da empresa SBW International BV na Holanda, imediatamente iniciou as pesquisas aplicando esta tecnologia a diversas cultivares na Holanda. E, em 2007, recebeu um prêmio de reconhecimento pela inovação e eficiência deste novo sistema de produção de mudas em laboratório.

A TIB permite a produção de mudas em larga escala
Foto: Multicana

Na sequência, ele trouxe a tecnologia também para a unidade de produção na cidade de Holambra (SP) e, desde então, os desenvolvimentos em resultados cada vez melhores e mais eficientes não pararam.

Alewijn Broere, atualmente é diretor geral da empresa Multicana Plus Service, uma empresa focada em desenvolvimento de protocolos de cultura de tecidos diversos, bem como implementação de tecnologias de automação que viabilizem a redução de custos nos processos produtivos de mudas. A empresa além de desenvolver as tecnologias, também vende e transfere estas tecnologias para outras empresas.

O milagre da multiplicação

O sistema TIB, que hoje é conhecida como “o milagre da multiplicação”, é um dos produtos que mais tem chamado a atenção de empresas de micropropagação no mundo todo e já está sendo transferido para empresas no México, Egito, Índia e diversos países na Europa.

Alewijn Broere explica que o método permite a produção de mudas em larga escala, já que combina os estágios do processo produtivo dentro do laboratório, realizando de forma conjunta as etapas de propagação, alongamento e enraizamento dos explantes produzidos in vitro, o que permite economizar cerca de 80% da mão de obra tradicionalmente necessária nestas etapas.

 Além disso, por meio de aditivos específicos nos meios de cultura é possível controlar de forma muito mais eficiente os riscos de vitrificação e contaminação dos explantes, garantindo aos mesmos um crescimento vigoroso e saudável, além da redução do estresse durante o processo.

Esta técnica tem sido aplicada com grande sucesso nas culturas de banana e cana-de-açúcar e, rapidamente, está se expandindo para outras cultivares como, mirtilo, eucalipto, bromélia, plantas perenes, filodendros, lírio da paz (Spathyphillums) e outras plantas de jardim. Com um protocolo específico desenvolvido para cada cultivar, é possível obter resultados consistentes que resultam em altas taxas de multiplicação e explantes de excelente qualidade e vigorosidade.

As etapas de propagação, alongamento e enraizamento dos explantes são feitas em conjunto
Foto: Multicana

Juntamente com os recursos de automação, a tecnologia TIB tem se destacado nos últimos anos como uma forma eficiente de reduzir os custos de mão de obra na produção de mudas para o agronegócio. A SBW do Brasil e a MulticanaPlus são exemplos de empresas que têm investido significativamente nessa área, desenvolvendo técnicas inovadoras que trazem benefícios econômicos e ambientais.

Automação nos viveiros de aclimatação

Os benefícios nos processos produtivos, com essa tecnologia, não se restringem apenas aos processos no laboratório, mas também abrange as etapas de aclimatação que ocorrem nas estufas. As plântulas resultantes da Tecnologia TIB são explantes fortes e bem estruturados que permitem a implementação de automação do seu plantio em bandejas, portanto, todas as etapas subsequentes do processo podem ser automatizadas, garantindo alta eficiência e baixos custos.

No modelo de estufa proposto pela empresa MulticanaPlus, os explantes que em sua fase final, são produzidas em garrafas PET de 5 litros, e levadas diretamente do laboratório ao viveiro de aclimatação.

Dentro da estufa, as garrafas são abertas, e os grupos de plantas são individualizados manualmente, sendo que uma pessoa consegue individualizar cerca de 1.500 explantes por hora. Em seguida, entram em ação os robôs de plantio, estes de forma automatizada, transferem os explantes para a bandeja, a um ritmo de aproximadamente 2.500 por hora.

O sistema de logística interna da estufa pode ser configurado de diferentes maneiras, mas, a preferência recai sobre as mesas rolantes ou porta-bandejas empilháveis, que são facilmente transportadas com o auxílio de empilhadeiras. Essa abordagem garante uma movimentação eficiente das plantas dentro do espaço da estufa.

A rega com adubo e a poda semanal das plantas também são realizadas de forma totalmente automatizada, dependendo do tipo de suporte utilizado, o que agiliza o processo e reduz ainda mais a necessidade de mão de obra.

Antes de irem para o campo, as plantas passam por uma máquina totalmente automática de seleção. Essa máquina não apenas remove as células vazias, mas também seleciona as plantas, conforme os diferentes critérios de qualidade. Esse processo garante que as plantas menores, que ainda requerem um período de rustificação, sejam direcionadas para o mesmo e que somente as plantas que estejam 100% finalizadas sejam encaminhadas para a próxima etapa do processo.

Plantio automatizado no campo

O equipamento planta quatro hectares de cana por turno
Foto: Multicana

Uma vez estabelecida a estufa, a automação pode ser estendida para o plantio no campo. O uso de porta-bandejas empilháveis apresenta uma vantagem significativa, permitindo que um palete completo com plantas seja colocado diretamente na plantadora. Dessa forma, elimina a necessidade de manipulação individual das mudas e otimiza o tempo de plantio.

Atualmente, a empresa MulticanaPlus possui duas plantadoras em operação no plantio de cana-de-açúcar. A capacidade de plantio destas máquinas automatizadas é de quatro hectares de cana-de-açúcar por turno.

 Além do plantio, ela também realiza a aplicação de fertilizantes e inseticidas, tornando o processo mais eficiente. Dessa forma, garante a sanidade e a proteção das plantas contra eventuais pragas de campo, imediatamente após o plantio. A máquina de plantio automatizada requer apenas um único operador, é equipada com iluminação led, o que possibilita o plantio em três turnos, maximizando a produtividade.

Redução de mão-de-obra em 50%

Dentre as vantagens é possível destacar a redução significativa na quantidade de mão de obra ao utilizar esse sistema automatizado. A plantadora 100% automatizada da Multicanaplus realiza o plantio dia e noite. Com apenas um tratorista e um operador na plantadora, enquanto, que no sistema tradicional exige, pelo menos, quatro operadores. Dessa forma, reduzindo o número de pessoas em até 50%. “Outra vantagem é a eliminação dos riscos de acidentes e inalação de defensivos químicos, visto que os carrinhos de plantio ficam próximo ao solo”, comenta Alewijn Broere.

Para exemplificar, uma estufa de aclimatação e pátio de rustificação, com capacidade para produzir 30 milhões de plantas anualmente, demanda apenas 30 pessoas, graças aos investimentos em robôs e sistemas de classificação automatizados.

É importante ressaltar que o custo total de produção das plantas, incluindo os estágios de laboratório, aclimatação na estufa e plantio no campo, pode variar de acordo com a cultura em questão. No entanto, é possível obter custos a partir de R$ 0,55(cinquenta e cinco centavos de real) por planta produzida, representando uma economia significativa em relação aos métodos tradicionais existentes.

A Tecnologia TIB e os recursos de automação já existentes no mercado atualmente estão revolucionando a forma como as mudas são propagadas, aclimatadas e plantadas. Ao reduzir drasticamente a necessidade de mão de obra, essas técnicas tornam a produção das mudas muito mais eficiente, sustentável e econômica. “Com o contínuo avanço nessa área, é esperado que mais culturas se beneficiem dessas inovações, abrindo caminho para uma agricultura mais moderna e produtiva”, finaliza Alewijn Broere.

ARTIGOS RELACIONADOS

Importância da qualidade das mudas de abacates

Aumento da produção das frutas, extração de azeite, óleo e variedades comerciais são o caminho

Como otimizar a fertirrigação do cafeeiro para a obtenção de altas produtividades?

Marcelo de Melo Linhares Engenheiro agrônomo especialista em Proteção de Plantas marcelo.de.linhares@terra.com.br Marcelo Faria Consultor em Fertirrigação marcelofaria@sagraagricola.com.br A cultura do cafeeiro tem uma destacada importância no desenvolvimento econômico e...

Irrigação potencializa produção no campo

Para tentar vencer as dificuldades provocadas por longos períodos de estiagem ou mesmo por ...

Fatec celebra 12ª turma e contabiliza mais de 350 tecnólogos formados

  A Fatec Shunji Nishimura de Pompeia formou a 12ª turma do curso de Mecanização em Agricultura de Precisão (MAP) na última sexta-feira, 10 e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!