Inicio Revistas Hortifrúti Trichoderma – Mais matéria orgânica, menos nematoides

Trichoderma – Mais matéria orgânica, menos nematoides

0
190

 

Rodrigo Vieira da Silva

Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e professor do IF Goiano ” campus Morrinhos

rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br

José Orlando de Oliveira

Técnico da Emater ” GO e mestrando em Olericultura pelo IF Goiano

João Pedro Elias Godinho

João Paulo Marques Furtado

Graduandos em Agronomia no IF Goiano

Brenda Ventura de Lima e Silva

Engenheira agrônoma e mestre em Fitopatologia pela Universidade Federal de Viçosa

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

O Trichoderma é um fungo filamentoso de vida livre, encontrado em todos os tipos de solos. Apresenta uma importante função ecológica, atuando como biofertilizante na decomposição de folhas, caules, raízes e de resíduos animais, que, depois de decompostos, torna os nutrientes solúveis, permitindo assim uma maior e mais rápida absorção pelas plantas.

A utilização de modernos pacotes tecnológicos na atual produção de agrícola nacional, tais como: irrigação, uso intensivo do solo, adubação pesada e sementes melhoradas geneticamente, aliado às características das hortaliças de possuírem tecidos tenros, com alta quantidade água e nutrientes, torna as plantas mais propícias ao ataque de uma diversidade de microrganismos causadores de doenças, com destaque para os nematoides.

Os nematoides parasitas de plantas, também conhecidos como fitonematoides, representam uma grave ameaça à produção de alimentos em todo o planeta. Prova disso é a inclusão dos nematoides na lista do Ministério da Agricultura das pragas com maior potencial de provocar prejuízo à agricultura brasileira.

Características como agressividade, alta capacidade reprodutiva, espécies hospedeiras, facilidade de disseminação e dificuldade de controle por meio de produtos químicos traz a necessidade de novas alternativas de controle.

Neste contexto, o uso do Trichoderma aparece como uma excelente opção no manejo de nematoides parasitas de plantas. Espécies do gênero Trichoderma possuem propriedades antagônicas baseadas na ativação de um arsenal de mecanismos variados, o que possibilita a atividade contra um largo espectro de fitopatógenos, e a capacidade de controlar um grande número de doenças de plantas.

Os nematoides, parasitas de plantas, representam uma grave ameaça à produção agrícola - Crédito Nadson Pontes
Os nematoides, parasitas de plantas, representam uma grave ameaça à produção agrícola – Crédito Nadson Pontes

Prejuízos por nematoides em HF

Não há uma estatística precisa sobre os prejuízos causados por nematoides em hortaliças no Brasil, sendo o nosso território inserido em uma região tropical, continuamente favorável para o desenvolvimento de doenças. Mas, estima-se, em média, um prejuízo de 20%, que pode chegar a 100%, levando em conta a infestação da área e a variedade cultivada.

Regiões de solos arenosos e com temperatura elevada são mais favoráveis à infecção de hortaliças por nematoides, ainda mais em condições de cultivo contínuo, como em extensas áreas irrigadas. Os principais gêneros de fitonematoides que causam problemas nas hortaliças pertencem ao gênero Meloidogyne (causador das galhas em raízes), Pratylenchus (conhecido como nematoide-das-lesões radiculares), Ditylenchus (nematoide das hastes e bulbo) e Scutellonema (nematoide da casca preta).

Os nematoides das galhas, pertencentes ao gênero Meloidogyne, são os que causam os maiores prejuízos, em razão de possuírem o maior poder destrutivo, com destaque para as espécies M. incógnita e M. javanica, estas duas com uma distribuição mais ampla no Brasil, enquanto que M. arenaria e M. hapla são de distribuição restrita.

Recentemente, uma espécie altamente polífaga e agressiva, a M. enterolobii, foi identificada no País, sendo que infelizmente o número de cultivares resistentes disponíveis no mercado é praticamente inexistente.

A cenoura está entre as hortaliças mais atacadas pelos nematoides - Crédito Shutterstock
A cenoura está entre as hortaliças mais atacadas pelos nematoides – Crédito Shutterstock

Ataque

Praticamente todas as hortaliças são infectadas pelos nematoides parasitas de plantas. No entanto, as culturas mais sensíveis e prejudicadas são a alface, o tomateiro, o quiabeiro, a batata e a cenoura.

O ataque ocorre no sistema radicular, tornando as plantas enfraquecidas pelas diversas lesões necróticas ou pela formação de galhas (no caso de Meloidogyne), o que interfere na absorção de água e nutrientes (principalmente nitrogênio), tornando as plantas amareladas, raquíticas e murchas, muitas vezes podendo os sintomas ser confundidos com severa deficiência nutricional, levando a consequências negativas na quantidade a qualidade da produção de folhas, frutos e de bulbos.

Manejo dos nematoides

O controle dos fitonematoides é uma tarefa muito difícil, sendo a sua completa eliminação praticamente impossível. Assim, devem-se utilizar medidas que visem manter a população do nematoide abaixo do nível de prejuízo econômico.

As principais formas de manejo dos fitonematoides são preventivas ou culturais, como a prevenção da entrada destes organismos nas áreas de cultivos, por meio da quarentena de materiais propagativos (sementes, mudas, bulbos, perfilhos), pelo uso de água de irrigação não-contaminada, a utilização de máquinas e implementos agrícolas limpos e manutenção de animais fora da área de cultivo.

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro 2015  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

SEM COMENTÁRIO