23.6 C
Uberlândia
terça-feira, abril 16, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosAções contra praga incurável da bananeira

Ações contra praga incurável da bananeira

Fusariose raça 4 tropical: a única forma de evitar prejuízos é a prevenção, pois ainda não tem controle químico e nem variedades resistentes.

João Henrique Barbosa da Silva
Engenheiro agrônomo (UFPB) e mestrando em Agronomia – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
henrique485560@gmail.com 

Daniele Batista Araújo
Engenheira agrônoma, mestra e doutoranda em agronomia – UFPB
danielearauujo12@gmail.com 

A fusariose raça 4 tropical, ainda sem controle químico ou variedades resistentes, atinge a bananeira pelo solo infectado, mudas contaminadas, implementos agrícolas e instrumentos de poda infectados.

Como consequência, a planta seca, amarelece e morre. O fungo permanece no solo por mais de 40 anos, tornando inviável a continuação da cultura na área. A única forma de evitar prejuízos é a prevenção.

A prevenção ainda é o único caminho contra fusariose 4
Crédito: Maria Geralda Vilela

Algumas ações podem ser levadas em consideração, como por exemplo, a educação sanitária da população em geral, capacitação de técnicos, plano de amostragens e levantamento anual por meio de métodos de detecção da praga.

Prejuízos

De modo geral, essa praga é capaz de destruir cultivos inteiros de banana, deixando os solos improdutivos por aproximadamente 40 anos, levando a diversos prejuízos, dentre os quais, o econômico.

A fusariose raça 4 tropical prejudica muitos produtores, quando disseminada nas áreas, o que faz encarecer o produto para o consumidor.

Ela é originada de um fungo de solo (Fusarium oxysporum f. sp. cubense), sendo considerada a principal doença da bananeira. Sua transmissão ocorre de maneira silenciosa, espalhando-se antes que os sintomas apareçam.

Como o fungo se espalha

O fungo penetra o sistema radicular, atinge o caule subterrâneo (rizoma) e posteriormente as bainhas das folhas mais externas do pseudocaule, colonizando e obstruindo os vasos condutores de seiva da bananeira, e assim dificultando a passagem de água e nutrientes para a parte aérea.

Dessa forma, a cultura começa a exibir sintomas de murcha, amarelecimento, necrose e pode chegar à morte da folha mais velha em sentido às mais novas.

Formas de controle

Como técnicas de controle da fusariose, temos a utilização de variedades resistentes, mudas sadias e de procedência, afim de evitar a entrada do patógeno nas áreas produtivas. Assim, todo material propagativo utilizado na área deve ser adquirido de produtores credenciados ou de bananais jovens e vigorosos.

Outra medida é realizar a limpeza das mudas por meio do descortiçamento, com a finalidade de eliminar aquelas que estão doentes no lote, além de também realizar a correção do pH do solo próximo à neutralidade. Os solos devem ser férteis e bem drenados.

Outro ponto importante é a vistoria frequente do campo produtivo, já que assim que se detectar uma planta doente deve-se removê-la imediatamente e destruir os restos culturais da mesma.

Como reduzir os danos causados pela praga

O controle das doenças e pragas na agricultura tem se intensificado bastante nos últimos anos, contudo, para a fusariose da bananeira é bem mais complicado reduzir os danos causados às plantas, tendo em vista que, a partir do momento que se detecta a presença da doença na área é preciso remover e destruir os restos culturais das mesmas e evitar, assim, sua propagação em toda a área produtiva.

Ultimamente, vem sendo realizado o controle químico, basicamente por meio do emprego de produtos sintéticos, com elevados custos e riscos ambientais, como o desequilíbrio ecológico, e toxicológicos, com elevada concentração nos alimentos.

O controle químico da fusariose é economicamente impraticável. Assim, uma vez a doença presente no bananal, esta não pode ser controlada a partir da aplicação de fungicidas, tampouco erradicada por meio da fumigação do solo. Dessa forma, a única alternativa de controle duradouro dessa doença, até então disponível e viável, é o cultivo de cultivares resistentes.

Custo envolvido

Com relação aos custos, sabe-se que o controle químico é economicamente inviável, contudo, o método de reduzir esses danos é evitar a entrada do fitopatógeno na área. Como se sabe, esse fungo é habitante do solo e possui a capacidade de sobrevivência por longos períodos.

Ainda, na ausência do hospedeiro, ele continua seu ciclo, já que é caracterizado como saprófita. Dessa forma, uma vez presente no solo, é impossível ser eliminado.

Como já mencionado, os métodos de controle eficazes contra a fusariose da bananeira são restritos, limitando-se, nesse sentido, às estratégias de manejo principais, que focam na exclusão do patógeno, ou seja, a introdução da cultura em áreas livres do patógeno, além do uso de variedades resistentes e mudas sadias.

Novidades

A dificuldade de controle de doenças de plantas por técnicas tradicionais intensifica os estudos com outros métodos, como o controle biológico em diversas culturas, melhoramento genético, afim de desenvolver novas variedades resistentes aos fitopatógenos, além de realizar testes com extratos vegetais e uso de óleos essenciais.

O controle biológico de doenças causadas por fungos de solos tem sido bastante estudado e, em bananeira, a utilização de microrganismos antagonistas constitui-se uma alternativa muito promissora para reduzir as populações dos fitopatógenos no solo.

Espécies de gênero Trichoderma são reconhecidas pelo efeito antagônico contra espécies de patógenos de plantas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Spodoptera causam perdas

O gênero Spodoptera compreende 30 espécies descritas atualmente, sendo mais da metade relatada ...

Soja resistente aos nematoides otimiza produtividade

Os fitonematoides se destacam pela sua importância econômica, principalmente em culturas como a soja, o milho e o feijão. As principais espécies-praga são distribuídas em quatro gêneros, que são Heterodera, Meloidogyne, Pratylenchus e Globodera (Davis e Curty, 2011; Moens e Perry, 2009) que acometem várias culturas agrícolas.

Mulching: Importância multifuncional para as bananas

“Mulching” é a aplicação de uma cobertura na superfície do solo, constituindo uma barreira física à transferência de energia e vapor d’água entre o solo e atmosfera.

Fungicida multissítio controla cinco

O tomate é uma das hortaliças mais importantes do ponto de vista econômico e social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!