28.8 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosAlgas proporcionam morangos mais saborosos

Algas proporcionam morangos mais saborosos

Foto: Shutterstock

Paula Almeida Nascimento
Engenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia/Produção Vegetal – Universidade Federal de Lavas (UFLA)
paula.alna@yahoo.com.br

O morangueiro é uma hortaliça pertencente à família Rosaceae, subfamília Rosoideae, tribo Potentilleaea e gênero Fragaria. A espécie Fragaria x ananassa Duch., o morangueiro cultivado, é constituído por plantas de característica herbácea, que apresentam porte baixo (15 a 30 cm de altura) e formação de touceiras.

A propagação vegetativa, promovida pela emissão de estolões, é a principal forma de reprodução do morangueiro, que é um pseudofruto. O fruto verdadeiro não é a parte carnosa vermelha de sabor levemente cítrico e doce (polpa), mas os pequenos aquênios, que são popularmente chamados de sementes.

Valor nutricional

No grupo das frutas vermelhas, o morango é a espécie de maior importância econômica mundial. Apresenta grande valor nutricional, rico em vitaminas (principalmente vitamina C), minerais (cálcio, potássio e ferro) e fibras.

A planta tem preferência por climas mais frios, sendo assim cultivado em regiões de clima temperado a subtropical. Destaca-se por seu sabor agradável e aspecto atraente.

Seu consumo se dá in natura (70%) ou industrializado (30%), podendo ser processado de diversas formas. O morangueiro apresenta importância na comercialização de frutos para consumo in natura ou destinado à industrialização, com destaque para a produção de geleias, balas, sorvetes, vitaminas, sucos, bolos e iogurtes.

Importância do morangueiro

O plantio da cultura no Brasil tem muita importância, porque está relacionado com o desenvolvimento socioeconômico do País. Desta forma, grande parte das áreas de cultivo estão em bases de agricultura familiar.

O Brasil é um dos maiores produtores do mundo, com produção de mais de 100 mil toneladas. Então, mais de 90% da produção dos morangueiros no País é destinada ao comércio interno, na forma in natura.

O Estado de Minas Gerais se destaca nesta produção e a região que mais produz é o Sul de Minas. E, para obtenção de maiores produtividades, é necessário muito conhecimento no manejo da cultura e, principalmente, das características fisiológicas e botânicas da planta.

Condições para o cultivo

O número de frutos por planta, tamanho do fruto e desenvolvimento varia entre as cultivares e suas condições genéticas. O morangueiro produz melhor em solos areno-argilosos, bem drenados, que tenham fácil acesso e água disponível para irrigação.

Embora o morango seja muito apreciado pelos consumidores, há uma preocupação em relação ao consumo de frutos com resíduos químicos e se são produzidos de forma ambientalmente correta.

Assim, o cultivo de morangueiro apresenta alta contaminação pelo uso exagerado de produtos químicos para controle fitossanitário, sendo prejudicial à saúde humana quanto à sua produção e consumo.

Desta forma, os pesquisadores têm desenvolvido pesquisas e tecnologias visando aumentar a produtividade e qualidade dos produtos agrícolas pelo uso de insumos menos agressivos ao meio ambiente e à saúde do consumidor.

Solução

O cultivo orgânico tem como objetivo a produção de alimentos livres de contaminação. Os biofertilizantes e estimulantes caracterizam-se como uma alternativa à suplementação de nutrientes em hortaliças, podendo ser aplicados via solo, via sistemas de irrigação ou pulverização foliar.

O uso de formulações de biofertilizantes é recomendável pelo baixo custo, composição variada e a existência de boas quantidades de nutrientes.

Foto: Shutterstock

Os biofertilizantes são utilizados em aplicações foliares como ativador de crescimento vegetal e auxiliar no controle de pragas e doenças. No Brasil, o uso de biofertilizantes e bioestimulantes aumenta anualmente e a alga marinha Ascophyllum nodosum é uma das espécies mais pesquisadas no mundo para fins agrícolas.

Em sua composição há micro e macronutrientes, além de fitohormônios e outras substâncias benéficas ao metabolismo vegetal. Além disso, possui efeito bioestimulante, aumentando a produtividade e qualidade pós-colheita de frutos.

Qualidade

O desenvolvimento de cultivares com maior produtividade exige vários fatores, como mudas com alta qualidade genética e fitossanitária, emprego de cobertura artificial no canteiro com plásticos de polietileno (“mulch”), túnel baixo com plásticos transparentes ou leitosos, sistema de irrigação por gotejamento e fertirrigação, além de uso de tecnologias empregadas para melhor eficiência da produção.

Muitos cultivos de morango são realizados com a utilização de produtos químicos. Infelizmente, são várias pulverizações com agrotóxicos durante o ciclo da cultura. Além da contaminação de frutos por produtos químicos, o cultivo convencional pode gerar resíduos, sendo eles depositados diretamente no meio ambiente.

O uso de insumos naturais visando o fornecimento de nutrientes às plantas e o manejo de fitopatógenos tem sido bastante divulgado entre as propriedades rurais que utilizam o sistema orgânico de produção.

Vantagens das algas

As algas marinhas melhoram o crescimento radicular, aumentam a produção de flores, a frutificação e a indução de resistência a pragas e doenças, além de estimular as respostas às condições de estresse, principalmente o hídrico.

Algumas algas marinhas são comercializadas com foco bioestimulante e fertilizante, na forma seca ou de extrato líquido. Sua ação permite o aumento da resistência das plantas a doenças, estresse hídrico e geadas.

As algas possuem em sua composição nutrientes, aminoácidos, vitaminas, citocininas, auxinas e ácido abscísico (ABA), que atuam como promotores do desenvolvimento vegetal. Elas possuem atividade direta na proteção vegetal contra fitopatógenos, e promovem a produção de moléculas bioativas capazes de induzir a resistência nos vegetais.

A espécie de alga Ascophyllum nodosum (L.) Le Jolis é a mais pesquisada na agricultura. Ela apresenta características de elevar o crescimento vegetal, pois os extratos derivados dessa alga, utilizados como bioestimulantes, são constituídos por auxinas, citocininas, giberelinas, entre outros hormônios vegetais.

Hormônios

Além de nutrientes, o extrato da alga Ascophyllum nodosum contém um complexo de compostos reguladores vegetais que apresentam efeito hormonal em plantas cultivadas, sendo compostos por auxinas (ácido indol acético), giberelinas (GA3 e GA4), citocininas (trans-zeatina ribosídeo, dihidrozeatina, dihidrozeatina ribosídeo) e ácido abscísico; bem como aminoácidos, ácidos orgânicos, carboidratos e vitaminas, extraídos da própria alga.

Os produtos comerciais que têm como base o extrato da alga Ascophyllum nodosum apresentam 13,0 a 16,0% de matéria orgânica, 1,01% de aminoácidos (alanina, ácido aspártico e glutâmico, glicina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, prolina, tirosina, triptofano e valina), carboidratos e concentrações importantes dos nutrientes N, P, K, Ca, Mg, S, B, Fe, Mn, Cu e Zn.

Apresentam, ainda, hormônios de crescimento (auxinas, giberelinas, citocininas, ácido abscísico), e auxiliares do transporte de micronutrientes, estimulando o crescimento vegetal e a melhoria da qualidade dos frutos, que se expressam em tamanho uniforme, cores mais intensas, mais resistentes ao transporte e com maior durabilidade pós-colheita.

Manejo

No cultivo do morangueiro, a aplicação de produtos comerciais à base de extrato de algas é recomendada na fase do transplante de mudas, na pré-floração e na formação dos primeiros frutos da planta. A dose recomendada é de 2,0 a 2,5 L ha-1 em cada aplicação.

De acordo com a literatura consultada, observou-se que o uso dos biofertilizantes tem se mostrado uma alternativa para o alcance de melhor produtividade e qualidade superior das plantas.

Os benefícios são vários e permitem a uniformização e aumento da germinação de sementes, emergência de plântulas, melhor desenvolvimento do sistema radicular, maior aproveitamento de nutrientes, obtenção de flores e frutos de tamanho uniforme e com cores mais intensas.

O uso de extrato de algas na agricultura é muito popular nas diversas regiões do mundo, com o objetivo de aumentar a produtividade e a produção de alimentos. As algas têm interações benéficas como os microrganismos presentes no solo.

Resultados comprovados

Vários pesquisadores já avaliaram o efeito benéfico do composto à base de extrato de algas comercial sobre a produtividade e qualidade dos frutos do morangueiro. Assim, os tratamentos promoveram aumento do tamanho de frutos e no teor de antocianina dos frutos.

Neste sentido, observa-se que o sucesso do extrato de algas marinhas na produção agrícola é dependente de diversos fatores, incluindo as condições de cultivo, espécie analisada, concentração da alga presente na formulação, composição do produto formulado, bem como o modo de aplicação (via solo ou foliar), sendo, portanto, dependente da cultura e das condições ambientais locais.

No Brasil, o uso de extrato de algas é permitido como agente quelante/complexante ou aditivo natural em formulações de fertilizantes foliares, biofertilizante, condicionador de solo e no manejo animal, desde que originado de extração legal.

Como já citado, os bioestimulantes são substâncias de origem orgânica que favorecem o potencial genético das plantas mediante alterações nos processos vitais e estruturais, promovem o equilíbrio hormonal e estimulam o desenvolvimento do sistema radicular.

Muitos desses produtos aumentam a absorção de água e de nutrientes pelas plantas, bem como sua resistência aos estresses hídricos e aos efeitos residuais de herbicidas no solo, fazendo com que seu uso na agricultura seja crescente.

ARTIGOS RELACIONADOS

Feacoop fatura mais de R$600 milhões

A Feira de Agronegócios Coopercitrus reuniu 160 expositores, em 104 mil m² e, um público de mais de 10 mil pessoas, que conheceram as...

Algas: Mais tempo de prateleira para o tomate

Para melhorar o rendimento das culturas, sem impactar negativamente o meio ambiente em diversas regiões do mundo, produtos à base de algas marinhas têm sido cada vez mais aplicados na agricultura.

Atta-Kill – Solução eficiente contra formigas

  Há cinco anos a Atta-Kill participa da Hortitec. “Nesse ano expusemos os nossos produtos para agricultura, o Mirex-S Max, o MIPIs de papel, que...

Bancadas hidropônicas: A declividade ideal para montar seu projeto

A declividade das bancadas hidropônicas nada mais é do que a inclinação ou ângulo que o perfil hidropônico possui em relação ao nível do horizonte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!