22.6 C
Uberlândia
domingo, junho 23, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosBananicultura: resultados da adubação orgânica e bioestimulantes

Bananicultura: resultados da adubação orgânica e bioestimulantes

Foto: Shutterstock

Harleson Sidney Almeida Monteiro
harleson.sa.monteiro@unesp.br
Sinara de N. Santana Brito
sinara.santana@unesp.br
Engenheiros agrônomos e mestrandos em Agronomia/Horticultura – UNESP
Antonia B. da Silva Bronze
Doutora em Ciências Agrárias e professora – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
antonia.silva@ufra.edu.br

A banana (Musa spp.) é um dos frutos mais consumidos no mundo, podendo ser cultivada na maioria dos países tropicais. Essa frutífera é uma das espécies de grande importância social e econômica para o Brasil, tendo grandes áreas de cultivo no País.

Apesar dos 456.375 hectares de área plantada com bananicultura no Brasil, apenas 0,5% de toda a área é cultivada em monocultivo de bananicultura orgânica, correspondendo em torno de 2.400 hectares.

A ampla faixa de cultivo em território nacional se deve à espécie encontrar no País condições ideais para o seu desenvolvimento e produção, sendo importante fazer, desde o início do plantio, uma boa escolha do material genético que será implantado, e optar por espécies adaptadas às condições edafoclimáticas da região do pomar, que sejam tolerantes a pragas e doenças.

Não existem, ainda, cultivares desenvolvidas que sejam exclusivamente para cultivo orgânico, estando apenas no manejo a diferença.

Manejo acertado

A banana é bem difundida em propriedades rurais convencionais, e tem sido amplamente cultivada nas últimas décadas em sistemas orgânico de produção. O manejo do solo é prática-chave no sistema do cultivo orgânico na bananicultura, sendo fatores que determinam a qualidade do solo aqueles que exercem grande influência no desenvolvimento vegetativo e produtivo da cultura.

Nesse sistema de produção, a adubação dependerá da qualidade e do tipo de solo, pois no cultivo orgânico o manejo deve ser diretamente no solo, oferecendo cobertura com fitomassa viva e/ou morta, uso de adubos verdes e compostos, além da escolha do preparo da área, levando em consideração as características física e química do solo, sendo possível seguir o manejo convencional.

Nutrição

A bananicultura demanda grandes quantidades de nutrientes para que ocorra de maneira adequada o seu ciclo vegetativo e produtivo das plantas. Portanto, a adubação orgânica, além de contribuir simultaneamente com a melhora das características física e química do solo, e com a fertilidade do solo, garante a nutrição adequada e necessária para as plantas de bananeira.

A adubação também tem sido fator de grande relevância para o estabelecimento da cadeia produtiva da bananicultura no Brasil.

Orgânicos

O manuseio de adubos orgânicos tem sido a forma mais eficiente de conceder nitrogênio no plantio, estimulando de maneira significativa o desenvolvimento radicular e tendo perda mínima do nutriente.

Os adubos orgânicos que mais têm sido utilizados na bananicultura orgânica são: estercos curtidos de gado, galinha e caprinos; torta de mamona; húmus de minhoca; pó de cinza, dentre outros compostos, além do próprio resíduo da bananeira e os adubos orgânicos que normalmente estão mais disponíveis na região.

No cultivo orgânico da banana, o uso de fertilizantes, corretivos e inoculantes é permitido, desde que sejam substâncias autorizadas nas Instruções Normativas de nº 17 (2014) e nº 46 (2011), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, sendo necessária a autorização do uso desses insumos pelo Organismo de Avaliação da Conformidade Orgânica (OAC) ou pela Organização de Controle Social (OCS).

Recomenda-se a utilização de material homogêneo que tenha como componentes matéria orgânica (MO) parcialmente estabilizada, substâncias húmicas e nutrientes para as plantas, como: serragem de madeira, pós de serra, esterco bovino, de bode, de frango, de codorna, de coelho, de equino, ovino e caprino, bagaço de cana-de-açúcar, mistura de resíduos da própria planta de bananeira – frutos de refugo e engaços, microrganismos eficazes (EM), entre outros.

A aplicação do EM facilita a mineralização do solo e dos nutrientes presentes, além da aceleração na decomposição da palhada.

Tabela 1. Teores totais de macronutrientes e matéria orgânica (MO) de estercos de origem animal, de acordo com Trazzi et al. 2012

Tipo de adubopHNPKCaMgSMO
g kg-1
Esterco bovino8,34,60,54,512,75,10,0584,0
Esterco de frango6,37,71,62,414,25,70,0681,0
Esterco de codorna7,67,74,64,335,74,80,09107,7

Viabilidade

Além da compostagem, é também uma alternativa viável e que tem promovido incrementos no pH, MO, P, Ca, na soma de bases (SB), na capacidade de troca catiônica (CTC) e na saturação por bases (V) do solo.

Contudo, não afetou os teores de K e Mg, assim como, por meio da compostagem laminar, se obtém em menor tempo a estabilização ou a humificação da MO, que também contribui para o pleno desenvolvimento das plantas, trazendo melhorias à qualidade e produtividade, além de favorecer e contribuir com a proteção do meio ambiente.

Crédito: Luize Hess

Em equilíbrio

Sabemos que as plantas não se desenvolvem nem alcançam seu potencial máximo de produção se não houver os nutrientes necessários em quantidades suficientes durante o seu ciclo vegetativo e de produção.

A partir dessa necessidade, se faz importante que as composições físicas, químicas e biológicas do solo se encontrem em equilíbrio, haja vista que quando essas composições estão em desequilíbrio é preciso a adição de condicionadores do solo.

Essa adição poderá ocorrer por meio da aplicação de aminoácidos, ácidos orgânicos e nutrientes, que atuará na melhoria da qualidade do solo, favorecendo um pleno desenvolvimento com vigor da planta.

Além disso, os condicionadores do solo são extensamente benéficos e importantes para a recuperação das características do solo, principalmente dos que já enfrentaram (passaram) degradação.

Biofertilizantes

Dentre os produtos orgânicos para adubação, temos também os biofertilizantes, obtidos a partir do processo de fermentação, por meio da atuação dos microrganismos que agem na decomposição da matéria orgânica.

Sua forma mais usual nos cultivos é por meio da aplicação foliar, tendo ainda efetivação positiva na redução de pragas, agindo como fungicida, bactericida e repelente contra os insetos, assim como sua aplicação pode ocorrer diretamente via solo, melhorando as condições físicas, químicas, biológicas e na diversidade de população dos microrganismos.

Haja vista que o custo de produção da banana orgânica tem sido mínimo, é necessário e válido um bom manejo, raleio, adubação e, pelo menos uma vez ao mês, a introdução do EM.

Na bananicultura atual, os biofertilizantes são sendo uma forte alternativa por parte dos produtores, tendo o sistema de irrigação como principal veículo de aplicação. Isso tem fortalecido a demanda e preferência por compostos orgânicos líquidos, pela fertirrigação da cultura, e levado ao desenvolvimento de inúmeras pesquisas que viabilizam o manejo, diminuam o problema de entupimento e aumentem a funcionalidade do sistema de irrigação, que tem sido o principal dos problemas.

Erros

Quanto à adubação orgânica na bananeira, os principais erros que normalmente ocorrem são: escolha da área, análise química e preparo do solo, utilização de espécies para a adubação verde, quantidade adequada da adubação potássica, adubação de micronutrientes e no fornecimento de água.

Devido à bananeira ser uma espécie que possui morfologia e hidratação de seus tecidos úmidos e com crescimento dinâmico, apresenta elevada e continua demanda por água e nutrientes, aspectos onde ocorrem as maiores falhas por parte dos produtores em pomares de bananeira.

Evolução do sistema

Inúmeras mudanças têm ocorrido nos modelos do agronegócio, acarretando a competividade de mercado em um requisito de sobrevivência para os bananicultores. Devido às exigências que o mercado tem, que são: frutos com elevada qualidade e de baixo custo de produção, somado à forma de cultivo de baixo custo e orgânico da bananicultura, tem sido incorporado ao sistema de cultivo alternativas tecnológicas que sejam capazes de minimizar o impacto ambiental da atividade.

A principal ferramenta tecnológica que tem sido utilizada na atualidade em produção orgânica no Brasil é a Produção Integrada de Frutas (PIF), com a aplicação de fertilizantes em quantidades adequadas às necessidades da cultura e o uso de bioestimulantes, como técnicas que minimizem perdas de nutrientes.

Diante do exposto, podemos concluir que a banana pode se tornar o principal produto da produção orgânica do Brasil. Principalmente porque, dentro do sistema de produção da cadeia da bananicultura, cerca de dois terços da biomassa da cultura retorna para o solo, resgatando quase 70% dos nutrientes que foram produzidos, não tendo a necessidade de incorporar outros adubos.

Assim, os bioestimulantes têm sido altamente empregados no sistema de produção e proporcionado melhorias nas características físicas e biológicas do solo, proporcionando a condição ideal para a bananeira.

As técnicas ambientais e sustentáveis têm favorecido os métodos orgânicos de produção, reduzindo a utilização de agrotóxicos e/ou adubos químicos solúveis. A adubação orgânica, além de melhorar e complementar a adubação e os atributos do solo, é economicamente viável.

Recomenda-se que os produtores utilizem adubos orgânicos em seu plantio, principalmente optando por materiais que estejam em abundância em sua região, afim de evitar o transporte de matéria-prima orgânica a longas distâncias.

ARTIGOS RELACIONADOS

Bioestimulantes na cebola: o que esperar deles?

Como agem na cebola e os benefícios.

Lodo de esgoto pode revolucionar o cultivo de banana

Linha de insumos agrícolas Tera Nutrição Vegetal promove a padronização dos cachos, melhora a produtividade e atua no controle de doenças. Propriedades e aplicabilidade do fertilizante orgânico serão apresentadas na Feibanana 2022.

Bioestimulantes: solução para estresses em alface hidropônica

Quais obstáculos e soluções e como funciona o sistema hidropônico do tipo NFT? Veja quais recomendações e os benefícios em nosso site.

Ensacamento de frutos da banana no controle de doenças

Uma série de patógenos assolam a cultura da bananeira. Doenças que atingem os frutos são especialmente prejudiciais e, se não controladas, podem resultar em grandes perdas para os produtores em virtude da má aparência dos frutos, que os tornam impróprios para o mercado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!