Inicio Revistas Hortifrúti Como podar e conduzir o caqui

Como podar e conduzir o caqui

0
5672

Pedro Maranha Peche

Engenheiro agrônomo e doutorando em Fruticultura UFLA

pedmpeche@gmail.com

Rafael Pio

Engenheiro agrônomo e professor de Fruticultura UFLA

 

Crédito Fábio Valio
Crédito Fábio Valio

A poda de formação do caquizeiro tem a finalidade de formar o esqueleto básico da planta, capaz de suportar elevadas cargas. A muda é plantada em haste única, deixando no primeiro ano desenvolverem-se três ou quatro pernadas, radialmente e bem dispostas no tronco, distantes entre si de 10 a 15 cm, a partir de 50 cm do solo, eliminando-se os demais ramos rentes ao tronco.

No inverno seguinte, um ano após o plantio, essas pernadas são encurtadas a 30 cm, a fim de permitir as ramificações de brotações vigorosas, formando-se assim aestrutura tipo “taça“.

Em seguida os ramos devem ser arqueados, amarrando-se uma corda em uma estaca fincada no chão (inclinada 45º) e no ramo, puxando-se este com cuidado até incliná-lo por 30º, lembrando-se de sempre colocar um pedaço de borracha no local onde passará a corda no ramo, para assim evitar feridas na planta.

Os ramos devem ficar arqueados por quatro meses, eliminando-se todas as brotações que surgirem, deixando-se apenas as brotações das extremidades, para assim futuramente se ter uma copa baixa, o que facilita os tratos culturais e a colheita.

Poda de inverno

As plantas devem ser podadas ao final do inverno, no período que saírem da dormência, um pouco antes de iniciar o surgimento das brotações. A poda de encurtamento dos ramos deve ser evitada nas plantas adultas, uma vez que a frutificação ocorre sempre nos ramos do ano e os frutos se originam nas gemas terminais dos ramos do ano anterior.

O ponto mais importante da poda anual éreconhecer as duas ou três gemas localizadas na extremidade dos ramos ao final da 20ª estação hibernal, que contém as gemas florais.

Caso não seja feita a poda anual em plantas adultas de caquizeiro, o excesso de ramos, que ocasionalmente irão promover excesso de frutificação, promoverá quebra de galhos, resultando em prejuízos na produção e arquitetura da planta.

Crédito Pixabay
Crédito Pixabay

Raleio

Assim, a poda das plantas adultas deve se constituir no raleio de ramos, devendo eliminar o excesso deles, os ramos mal localizados, doentes e secos, os quais são eliminados pela base. Vale ressaltar que nenhuma frutificação ocorrererá caso seja feita uma poda drástica e também podas muito severas, que podem reduzir a frutificação, devido ao forçamento de um crescimento vegetativo excessivo.

Os frutos tendem a cair da planta precocemente se não receberem insolação suficiente. Isso é importante para conduzir a planta ao longo das podas hibernais, promovendo a formação de uma arquitetura de copa adequada, bem aberta e baixa, o que também facilitará os tratos culturais e a colheita.

Desbrotas periódicas devem ser realizadas pelo menos duas durante o ano, eliminando-se os brotos em excesso.Vale ressaltar que sempre, após a realização da poda, deve-se pincelar o local podado com pasta bordalesa, para assim evitar a contaminação da planta por doenças e pragas.

Após a queda natural dos frutos, se necessário, se faz o raleio
Após a queda natural dos frutos, se necessário, se faz o raleio

Escoramento dos ramos

O escoramento dos ramos tem o objetivo de promover o suporte de elevadas cargas de frutos em plantas adultas, para que suportem o peso dos frutos, evitando a quebra dos galhos mais abertos e carregados.

Deve ser realizado quando os frutos encontram-se ainda de pequeno tamanho. As escoras são fixadas no chão e, de preferência, na extremidade superior devem ter uma forquilha, onde se apoiará o ramo a ser sustentado. Também pode ser utilizado o escoramento por braçadeiras, onde os ramos mais fracos são sustentados pelos mais fortes, por meio de arames.

Raleio dos frutos

Após a queda natural dos frutos, se necessário, se faz o raleio, que tem o objetivo de melhorar a qualidade dos frutos remanescentes, propiciando assim a formação de caquis maiores, mais vigorosos e com maior aceitação pelos consumidores.

Devem-se eliminar os frutos menores, doentes, mal localizados (voltados para cima), evitando assim a queima pelo sol. Os frutos devem ficar bem distanciados para que não toquem um no outro, quando atingirem o tamanho máximo.

Seguindo essas recomendações, o produtor acertará na técnica, alcançando seu objetivo.

Essa matéria você encontra na edição de novembro 2015  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

SEM COMENTÁRIO