22.6 C
Uberlândia
quinta-feira, abril 18, 2024
- Publicidade -
InícioMáquinasDemanda por novos equipamentos eleva investimentos em máquinas agrícolas

Demanda por novos equipamentos eleva investimentos em máquinas agrícolas

Máquinas mais velhas e período de safra maior levam produtores e indústrias a substituírem suas frotas por tecnologias mais econômicas

Os investimentos em máquinas agrícolas fecharam 2022 em elevação no cenário nacional. É o que apontam os dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), que identificou que as vendas de tratores e colheitadeiras de grãos registraram aumento de 20% no período. Para 2023, nos setores sucroenergético e de grãos, os cenários também indicam crescimento, mas em contextos um pouco diferentes. Se, no primeiro, a expectativa é de elevação depois de um ano mais retraído e atingindo pela inflação, no segundo, o momento é de plena expansão, com os produtores e as indústrias buscando novos equipamentos.

Créditos: Assessoria

Boa parte desta perspectiva de mais vendas nos dois setores está no crescimento da safra e nas janelas entre o plantio e a colheita. Só na produção de cana-de-açúcar, a expectativa é de 10% de crescimento, gerando uma produção de mais de 50 milhões de toneladas. Com esse cenário de elevação, a procura de produtores e indústrias por ganhos tecnológicos mais econômicos em substituição às máquinas mais antigas tende a ser maior.

“Os produtores estão com a frota mais antiga, em menor quantidade, para uma safra que vem muito grande. Acredito que, no setor sucroenergético, haverá um crescimento rápido durante a safra, com esses produtores buscando por tecnologias”, explica o especialista em cana-de-açúcar e CEO da Grunner, Denis Arroyo.

Fazendo uma comparação com os resultados da produção de cana e de soja em um mesmo hectare, Arroyo destaca que, no setor de grãos, o trabalho mecanizado é necessário por conta da rapidez do mercado, enquanto que na produção de cana, por conta das altas margens de pressões na atividade, a opção de pelo uso de tecnologias é mais recente.

“Quando se olha para o mercado de grãos, as janelas entre o plantio e a colheita são muito mais apertadas e não dá para perder tempo. Por isso, o produtor investe mais em frotas. Na cana, é mais difícil de se fazer isso, porque uma companhia agrícola compete por recursos financeiros com a indústria, ocasionando um maior aproveitamento dessas máquinas para a produção e colheita da cana. A competição por investimentos em equipamentos é completamente diferente”, analisa o CEO da Grunner.

Mercado aberto para novos equipamentos

Com o mercado mais inclusivo para aquisição de novos equipamentos agrícolas que podem substituir as ferramentas mais antigas, empresas como a Grunner estão utilizando suas experiências no desenvolvimento de máquinas agrícolas tecnológicas para ampliar sua área de atuação e atingir novos mercados. Com especialização no desenvolvimento de soluções para a colheita de cana-de-açúcar, aplicação de fertilizantes líquidos, vinhaça e destruição de sólidos, a companhia quer se fixar como referência nos mercados de grãos e florestal.

Iniciando 2023 com 878 modelos Smart Machines em operação em todo o país, entre os meses de janeiro e março, a companhia já atingiu 42% da meta de vendas projetada para o ano. Atendendo sete dos 10 maiores grupos do setor sucroenergético do país, a Grunner traça para este ano a produção de mais 420 modelos Smart Machines que estarão nas lavouras de cana, soja, milho e no segmento florestal de todo o país.  

“O crescimento da Grunner também está ligado aos grandes parceiros nos negócios, e foi dessa forma que a companhia cresceu na cana-de-açúcar. Pode parecer que já estamos com o mercado 100% atendido, mas temos um horizonte de crescimento muito grande, atendendo clientes de usinas, com um potencial de substituição de 90% nas frotas das quais a Grunner já atua com 5% de quota de mercado. Queremos fazer esse mesmo caminho com os setores de soja e florestal, explorando seus 80 milhões de hectares e seguindo esse play book de começar em novas culturas, com grandes parceiros, para sermos referência”, explica o gerente comercial da Grunner, André do Amaral.

Completando em 2023 quatros anos de atuação, a companhia apresentou sua forma de trabalho e as soluções de seu portfólio para representantes de instituições bancárias do estado de São Paulo, seus fornecedores e clientes durante o Road Show e o Conectar Partner, que foram promovidos nos dias 15 e 16 de março, na cidade de Lençóis Paulista (SP).

Investimentos

Além de ser uma oportunidade para formar novas parcerias e fomentar aportes financeiros para suas produções, durante os dois eventos, a Grunner também destacou os investimentos que vêm sendo feitos em sustentabilidade, compliance, pesquisas, equipamentos e, principalmente, no atendimento aos clientes e parceiros – esses últimos que foram homenageados no Conectar Partner. 

 “A Grunner se preparou para ser uma empresa de grande porte. Quando a companhia estava vendendo seus 17 primeiros produtos, já se falava de compliance, porque o nosso time é muito forte e sabe o que o mercado vai precisar. Temos um parceiro exclusivo, a Mercedes-Benz Brasil, e nós sabemos que, para se ter essa relação, precisamos estar em outro nível de jogo. Começamos pela base, com a governança, compliance, suas garantias e como fazer. A competição é grande, a missão é promover um impacto e os investimentos foram para que o nosso potencial seja grande. Nós temos hoje, por exemplo, o SPA, que é um sistema que traz garantias na nossa gestão e nas negociações. A mentalidade é de sempre olhar para frente”, aponta Denis Arroyo, CEO da Grunner.  

Potencial para enfrentar os desafios

Com a capacidade para produzir 800 Smart Machines no ano, a Grunner enxerga como grande desafio a sazonalidade em setores como o canavieiro, que tem por costume dos produtores a aquisição de mais máquinas entre os meses de outubro a março, já projetando uma nova safra, enquanto, entre os meses de abril e setembro, o cenário é de baixa nas vendas.

“Esses dois eventos com os bancos, fornecedores e clientes foram promovidos com o propósito de mostrar que a Grunner tem condições de receber investimentos neste tipo de negócio, garantindo estoque, enfatizando a nossa capacidade de produção na época do ano de menor demanda, tornando a fábrica produtiva durante o ano todo e um custo mais baixo de ocupação. Buscamos a capacidade de gerar futuro, e eu acredito que a gente mostrou isso”, explica Denis Arroyo. 

O CEO da Grunner enfatiza o crescimento da companhia em quatro anos e adianta que potencial da empresa é de mais elevações. “Na cana, onde já estamos fixados, somos no ano 50% de participação no mercado, porém no setor inteiro e operando, somos 7%, o que mostra que nós temos muito mercado para alcançar. Temos outros produtos e passamos a enxergar o mercado de soja, florestal e agora citrus. Sabemos que temos capacidade de gerar futuro, por isso estamos crescendo e dobrando a cada ano com atuação em mercados que o mundo quer entrar”, reitera o especialista em cana-de-açúcar.   

ARTIGOS RELACIONADOS

Lavoro marca presença no Dia de Negócios e Tecnologia

Evento será realizado nos dias 10, 11 e 12 de janeiro de 2024, em Canarana, Mato Grosso. Expectativa da companhia é superar os R$ 150 milhões em negócios realizados em 2023.

Curso de Apicultura para Iniciantes

22 de outubro. O curso teórico será realizado no campus Umuarama da Universidade Federal de Uberlândia.

Nortène celebra 40 anos com constante inovação

A empresa expandiu seus negócios ao longo das últimas quatro décadas, atingiu novos mercados e promete novos avanços

O impacto da reforma tributária no Agro

Com os devidos ajustes, a Reforma Tributária poderá assegurar os benefícios tão almejados da simplificação, redução da litigiosidade e aumento da competitividade internacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!