27.6 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 19, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosPonto de colheita: determinante para a tangerina ponkan

Ponto de colheita: determinante para a tangerina ponkan

Crédito Arquivo

Givago Coutinho
Doutor em Fruticultura e professor efetivo – Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado)
givago_agro@hotmail.com

A produção de tangerinas no Brasil vem ganhando relevância no cenário do agronegócio brasileiro, sendo o terceiro grupo de frutos cítricos mais produzidos no Brasil, ficando atrás das laranjas e limões e limas ácidas.

Segundo o IBGE (2022), em 2020 foram produzidos 16.707.897 toneladas de laranja, 1.585.2015 toneladas de limões e limas ácidas e 1.026.638 toneladas de tangerinas, respectivamente. São Paulo é maior Estado produtor do fruto no Brasil, seguido por Minas Gerais e Paraná, respectivamente.

A área plantada ou destinada à colheita com tangerinas no Brasil foi de 49.698 hectares, enquanto que em 2020 subiu para 55.632 hectares, um aumento de cerca de 10,67%.

Ponto ideal

De forma geral, em citros, é necessário se proceder à colheita quando os frutos atingirem o estádio de maturação ideal para consumo. Tal recomendação é devido ao fato desses frutos serem considerados não climatéricos.

O fruto não climatérico é caracterizado como aquele que a taxa respiratória baixa e constante o torna incapaz de completar o processo de amadurecimento quando colhidos em estádio imaturo.

Assim, para atingir o ponto ideal de consumo, como teor de açúcar e acidez, deve permanecer na planta até o final do processo de maturação. Esse é, portanto, o grupo ao qual pertence à tangerineira ‘Ponkan’ (Citrus reticulata Blanco).

Neste contexto, os frutos não-climatéricos só devem ser colhidos quando reunirem todas as características adequadas ao consumo, uma vez que não apresentam aumentos na taxa respiratória e na produção de etileno, portanto, a respiração desses frutos geralmente apresenta decréscimo gradual durante o amadurecimento.

Dessa forma seu amadurecimento após a colheita fica comprometido. Diferentemente do que ocorre com os frutos considerados climatéricos, ou seja, aqueles que podem ser colhidos ainda “verdes” ou “de vez”.

Colheita

A possibilidade de colheita em pontos ainda não próprios ao consumo facilita o manuseio e contribui para ampliar o período de conservação, uma vez que normalmente apresentam taxas respiratórias mais elevadas no período pós-colheita. Assim, frutos como a tangerina ‘Ponkan’ só devem ser colhidos quando estiverem próprios ao consumo, o que contribui para a qualidade do produto final ao longo da cadeia de comercialização.

Figura 1. Área plantada ou destinada à colheita de tangerina no Brasil entre os anos de 2016 e 2020.

Entre os anos 2016 e 2020 houve um acréscimo de 13,57 toneladas, o que corresponde a 1,32% de aumento (Figura 2).

Figura 2. Quantidade de tangerina produzida no Brasil entre os anos de 2016 e 2020.
Fonte Sidra/IBGE, (2022).

Estágio adequado

Conforme mencionado, por ser uma fruta não climatérica, a tangerina ponkan necessita ser colhida em estágio adequado de maturação, que ocorre quando o conteúdo de açúcares e ácidos, além do teor de suco, apresentar a composição adequada.

Em geral, recomenda-se que a colheita de tangerinas, cujos valores também são utilizados para a colheita de laranjas, seja realizada quando os frutos apresentarem:

Ü Mínimo de suco: 35 – 45%;

Ü Sólidos solúveis (sst): 9 – 10ºbrix;

Ü Relação SST/ATT – ratio: 8,5 – 10.

Em relação aos citros, pelas próprias características inerentes à maturação dos frutos, é considerado maduro o fruto que apresentar características definidas para cada variedade. A tabela 1 mostra as características ideais de colheita para algumas variedades de citros.

Tabela 1. Teor de açúcar e o percentual de suco para citros.

Uma ajudinha no processo

Produtos com propriedades fitorreguladoras têm sido utilizados no manejo em citricultura visando florescimento, fixação e desenvolvimento dos frutilhos, além de raleio químico e alteração da época de colheita.

Os fitorreguladores são substâncias sintéticas, ou seja, artificiais, similares àquelas que são produzidas pelas plantas, que quando aplicadas nos vegetais possuem a capacidade de promover, inibir ou mesmo modificar processos morfológicos e fisiológicos.

Alguns compostos, como o ácido giberélico (GA3), aparentemente apresentam efeito na maturação de tangerina ponkan. Segundo Cunha Neto (2008), visando ampliar o período de colheita de frutos da tangerineira ponkan, constataram que a utilização de GA3 promoveu incremento no diâmetro e no peso dos frutos.

Crédito Emater

Erros mais comuns

O ponto ideal de colheita é importante para a comercialização das tangerinas. Caso os frutos sejam colhidos em estágios mais avançados de maturidade, pode ocorrer redução da vida útil pós-colheita, o que também pode dificultar o manuseio e transporte dos frutos, assim causando perdas quali e quantitativas.

O conhecimento do melhor momento a se proceder a colheita de tangerinas pode contribuir para possibilitar um melhor planejamento da atividade, otimizando etapas de transporte, bem como mão de obra, além da oferta de um produto de melhor qualidade.

Um detalhe importante na colheita é a forma como a mesma deve ser realizada. Na colheita dos frutos de tangerina recomenda-se a torção do pedúnculo ou corte com tesouras de colheita, sendo este o processo mais recomendado.

O arranquio de frutos não é recomendado, por ocasionar danos aos frutos, sobretudo na região peduncular, favorecendo a entrada de patógenos e a perda de água.

ARTIGOS RELACIONADOS

Depois das lagartas, lá vêm os percevejos

  José Fernando Jurca Grigolli MSc., doutorando em Agronomia, pesquisador da Fundação MS e membro do Núcleo de Estudos em Manejo Integrado de Pragas de Cultivos...

Agrocinco apresenta sua linha de híbridos

  A Agrocinco, neste ano, apresentou os maracujás híbridos da Embrapa: BRS Sol do Cerrado, BRS Rubi do Cerrado e BRS Gigante Amarelo. Atualmente, este...

Tubetes – A ferramenta útil na produção de mudas de café

Maurício Dominguez Nasser Pesquisador científico da APTA Regional Alta Paulista mdnasser@apta.sp.gov.br Flávia Aparecida de Carvalho Mariano Nasser Engenheira agrônoma, doutora e pós-doutoranda em Horticultura " FCA/UNESP-...

Trichoderma é eficiente no controle da podridão do mamoeiro

  Karin Ferretto Santos Collier Engenheira agrônoma, doutora em Produção Vegetal e professora do Centro Universitário Unirg karincollier@gmail.com   Os dados não são precisos, mas estima-se que a podridão...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!