26.6 C
Uberlândia
terça-feira, abril 23, 2024
- Publicidade -
InícioEventosSantander leva para a Expocafé suas melhores condições de crédito

Santander leva para a Expocafé suas melhores condições de crédito

Banco mantém isenção da taxa flat, oferece limites pré-aprovados e desconto de 20% na taxa de administração de consórcio estruturado de pesados.

O Santander participa da Expocafé 2023 para apresentar suas melhores ofertas agrícolas e direcionadas para a cadeia produtiva do café com condições especiais nas linhas de financiamento para investimento, como o Multiagro, e de custeio, como a CPR Financeira (Cédula de Produto Rural). Outras novidades são o consórcio estruturado de pesados e seguro agrícola. A Expocafé será realizada entre 17 e 19 de maio, no Campo Experimental da EPAMIG (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais), em Três Pontas – MG.

Segundo Emerson Souza, head de Agronegócios do Santander Brasil, foi feito um mapeamento prévio sobre as reais necessidades dos produtores de café e, assim, poder oferecer linhas mais adequadas e limites de crédito já aprovados. “Nossa intenção é mostrar aos clientes nossas melhores condições para fecharmos negócios na feira e, de largada, isentar a cobrança da taxa flat, condição que incide sobre o valor total da compra. Também estaremos preparados para atender produtores de outras culturas da região, que também é rica em grãos e pecuária”, completa o executivo.

O Multiagro é um produto que vem ganhando destaque nesse cenário de planejamento dos próximos ciclos produtivos. É direcionado ao produtor PF ou PJ que quer fazer investimentos e modernizar sua produção com equipamentos nacionais e importados. Há a possibilidade de optar por taxas pré ou pós-fixada e pagar em até sete anos. A cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é de 0,38%.

A CPR Financeira é uma solução indicada para produtores rurais, cooperativas e agroindústrias que precisam antecipar recursos para aplicar na sua atividade de acordo com a entrega da sua produção rural ou estocada. O cliente também pode optar por taxas pré ou pós-fixada. “Como projetamos o início de uma queda dos juros no segundo semestre deste ano, as taxas pós-fixadas podem ser mais vantajosas. Além disso, o crédito pode contribuir com o fluxo de caixa do produtor, uma vez que os preços do café estão em queda”, completa Souza.

Já o consórcio estruturado – voltado para aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas, veículos e energia renovável – terá desconto de 20% na taxa de administração para todo o período do contrato. A equipe especializada do Banco simula operações estruturadas acima de R$ 500 mil e, com base em um estudo, sugere lances que ajudam na contemplação da carta de crédito, com 90% de assertividade num prazo adequado ao cliente.

O Santander vai apresentar seu portfólio de seguros para o produtor rural, que contempla Vida Produtor Rural (Seguro Prestamista que garante o pagamento do saldo devedor de empréstimo agrícola), Seguro Máquinas e Equipamentos, Seguro Agrícola, entre outros.

Cintia Diniz, head da Rede Minas do Santander Brasil, explica que o Banco tem investido em linhas de crédito com taxas competitivas para o produtor rural expandir o seu negócio. “O agronegócio representa 22,6% do PIB de Minas Gerais, por isso queremos oferecer um portfólio completo de soluções financeiras e de gestão para contribuir para o crescimento do empreendedor do campo”.

Atuação do Santander no Agronegócio

Para acompanhar o movimento de interiorização do Santander, os especialistas do segmento Agro ficam responsáveis por atender produtores de uma microrregião. Hoje, o banco possui mais de 300 profissionais pelo Brasil dedicados a oferecer produtos e soluções voltadas para o negócio do produtor (PJ) e para o produtor (PF), como investimentos, cartão de crédito, pagamentos, entre outros produtos financeiros, como parte de uma estratégia “full banking”.

A carteira de crédito do Santander ampliada ao agronegócio (que considera recursos obrigatórios e livres, BNDES, Funcafé e os títulos CPR, CDCA e CRA) chegou a R$ 37,5 bilhões em 2022. Além de empréstimos e financiamentos, o Banco faz hedge de commodities, um instrumento de proteção às oscilações de preço de comodities agrícolas, como açúcar bruto, boi gordo, café arábica e soja em grãos.

O modelo de atendimento é completo e atua em três frentes: Varejo, que inclui o produtor pessoa física e médios e grandes negócios; atacado, que abrange grandes empresas do setor; e Private.

ARTIGOS RELACIONADOS

Brasil recebe a primeira certificação de cafeicultura regenerativa do mundo

Ao se falar em produção de café no Brasil devemos citar Minas Gerais. O estado mantém o título de maior ...

‘Mal do tronco’ avança em lavouras de café conillon no Espírito Santo

José Braz Matiello Engenheiro agrônomo da Fundação Procafé jb.matiello@yahoo.com.br Franco Cosme Robson R. Campos Engenheiros agrônomos da Defesa Agrícola Bruno S. Marques Engenheiro agrônomo O mal do tronco, uma doença que...

Dados divergentes na previsão de safra prejudicam cafeicultor

Roberto Santinato, da Santinato Cafés, afirma que os produtores sentem os reflexos da especulação quanto à previsão de safras futuras.

Sete dicas para gestão de água produtiva na sua lavoura

Produtor, você já parou para pensar quanto de água é utilizado para produzir uma tonelada de qualquer alimento? Saiba que hoje, já é possível...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!