18.6 C
Uberlândia
sábado, junho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiUso de gesso agrícola no tomateiro

Uso de gesso agrícola no tomateiro

 

Ronaldo Cabrera

Engenheiro agrônomo M.Sc., Dr. e consultor em Agronomia

radcabrera@yahoo.com.br

 

Créditos Ronaldo Cabreira
Créditos Ronaldo Cabreira

Ronaldo Cabrera, engenheiro agrônomo, doutor e consultor em Agronomia
Ronaldo Cabrera, engenheiro agrônomo, doutor e consultor em Agronomia

A cultura do tomate tem grande importância no setor de hortaliças no Brasil, sendo a maior em volume, com uma área de aproximadamente 65 mil hectares e produtividade média de 56 t/ha. A produção é destinada 70% para consumo natural e 30% para industrialização.

As técnicas de manejo fazem a diferença na produtividade e rentabilidade do produtor, sendo a questão nutricional fundamental para a qualidade e produtividade. Neste artigo está sendo abordado o uso de gesso agrícola no tomateiro.

O gesso agrícola, ou fosfogesso, cuja fórmula química é CaSO4-2.2H2O, oriundo da produção do ácido fosfórico, tem concentração de 20% de Ca e 15% de enxofre, dois macronutrientes essenciais para a produção, sendo que no tomateiro a exportação em kg/ton para cálcio é de 0,17 kg/ton e enxofre 0,22 kg/ton, os teores foliares adequados para cálcio são de 1,5 a 3% e enxofre 0,4 a 1,2%.

O principal efeito visual e econômico da deficiência de cálcio inicia com a flacidez dos tecidos da extremidade dos frutos, evoluindo para necrosamento, sintoma conhecido como podridão estilar ou “fundo-preto”. Podem ocorrer deficiências pontuais de cálcio que, neste caso, culmina com a necrose interna do fruto, conhecido como “coração negro“.

Atuação do cálcio

O cálcio é responsável pela formação de parede celular, aumentando a resistência e a firmeza do fruto, oferecendo maior longevidade, maior tempo de prateleira e, principalmente, reduzindo perdas, que, diga-se de passagem, são muito elevadas em hortaliças.

A principal fonte de cálcio vem do calcário, que tem uma solubilidade de 0,014 g/L, enquanto o gesso agrícola tem uma solubilidade de 2,4 g/L, em outras palavras, o cálcio do gesso agrícola estará disponível para a planta muito mais rapidamente.

No tomateiro com deficiência de enxofre, as folhas novas apresentam coloração amarelada, o caule fica lenhoso e com diâmetro reduzido. O enxofre tem papel importante na qualidade o fruto pois, juntamente com o nitrogênio, participa na formação dos aminoácidos sulfurados (cistina, metionina e cisteina).

Responsável pela formação de proteínas, melhora as características organolépticas, otimiza o metabolismo do nitrogênio, reduzindo a concentração de nitrato livre, que é prejudicial à saúde.

O enxofre

A principal causa da deficiência de enxofre é o cultivo em solos com baixo teor de matéria orgânica e o uso de adubos concentrados sem enxofre. As plantas absorvem enxofre na forma de SO4-2; para tanto, quando o enxofre é aplicado no solo na forma elementar S, ele precisa sofrer transformações bioquímicas para se transformar em SO4-2 para ser absorvido.

A transformação de S em SO4-2 depende de microrganismos do solo, principalmente Tiobacillus, que por sua vez são influenciados por temperatura, umidade, pH e teor de matéria orgânica.

O grande diferencial do gesso agrícola é que o enxofre está prontamente disponível, pois já se encontra na forma de SO4-2, não havendo necessidade de passar por processos bioquímicos de transformação, além de ser a fonte mais barata de enxofre do mercado.

O tomateiro chega a produzir mais de 100 ton/ha num curto espaço de tempo, sendo uma cultura nômade devido a problemas sanitários. Então, a escolha das fontes de corretivos e fertilizantes deve ser de reação rápida e com alta disponibilidade para atender a demanda da cultura no momento em que a planta precisa, tudo isso com um custo-benefício favorável. O gesso agrícola atende essas prerrogativas de uma cultura exigente, de alto risco e baixa margem para erro.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Resultados da adubação potássica + extrato de algas em rúcula

Nilva Teresinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora do Curso de Engenharia Agronômica do Centro Regional Universitário de Espírito...

Qual o poder do bioestimulantes na agricultura?

AutorPaulo Roberto de Camargo e Castro Doutor e professor titular - ESALQ/USP prcastro@usp.br Gabriela Romêro Campos Graduanda em Engenharia Agronômica - ESALQ/USP O...

Como evitar o pendoamento precoce da alface

O pendoamento é um processo natural da alface e caracteriza-se por alterações morfológicas e metabólicas como, por exemplo, alongamento caulinar, redução do número de folhas e produção de substâncias amargas com aspecto leitoso.

1° Encontro Estratégico Remineralizadores de Solo e a Nova Agricultura

No dia 23 de julho Patos de Minas (MG) recebeu o 1° Encontro Estratégico Remineralizadores de Solo e a Nova Agricultura, realizado pela Harvest Minerals, apresentando...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!