Potássio: Elemento essencial para bananas de qualidade

0
141

Autora

Renata Amato Moreira Doutoranda em Agronomia/Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)renata_amato@hotmail.com

Banana – Crédito: Shutterstock

A bananeira é muito exigente em nutrientes, sendo o potássio (K) o elemento mais requerido pela cultura. Este corresponde a aproximadamente 62% do total dos macronutrientes e 41% do total dos nutrientes da planta.

A utilização de solos pouco férteis e a não manutenção dos níveis adequados de nutrientes durante a vida da planta são responsáveis pela baixa produtividade da bananeira. Todas as suas formas estão disponíveis, sendo a principal forma encontrada no solo a mineral. Além desta, o K trocável está disponível na forma de cátion e na solução do solo.

Para o ótimo crescimento vegetal, o requerimento em K está em aproximadamente 2% a 5% na matéria seca, e sua absorção pelas raízes da bananeira é feita pela forma iônica K+, que aparece na solução do solo. Grande parte do K total da planta está na forma solúvel (mais de 75%), portanto, a sua redistribuição é facilitada no floema.

Desta forma, o elemento é redistribuído das folhas mais velhas para as mais novas e para as zonas de crescimento, assim, os sintomas de deficiência aparecem primeiro nas folhas velhas.

Em falta

A deficiência de potássio caracteriza-se pelo amarelecimento rápido e murchamento precoce das folhas mais velhas – o limbo se dobra na ponta da folha, com aspecto encarquilhado e seco. O cacho é a parte da planta mais afetada pela falta de K, pois reduz a produção de matéria seca.

Com o baixo suprimento de K, a translocação de carboidratos das folhas para os frutos diminui e mesmo quando os açúcares atingem os frutos, sua conversão em amido é restrita, produzindo frutos pequenos e cachos impróprios para comercialização, com maturação irregular e polpa pouco saborosa.

Para os frutos

O potássio é um nutriente importante não só na translocação de fotoassimilados e no balanço hídrico, mas também na produção de frutos, aumentando a resistência destes ao transporte e melhorando a durabilidade, pelo aumento do teor de sólidos solúveis totais e açúcares e redução da acidez da polpa.

O K não faz parte de compostos orgânicos e, portanto, não desempenha função estrutural na planta, mas contribui nos processos de respiração, fotossíntese, síntese de clorofila e na regulação do conteúdo de água nas folhas e também tem sido atribuído à nutrição potássica, à tolerância das plantas à seca e à geada.

Esta característica faz com que seja praticamente descartado o murchamento da bananeira em situações de estresse hídrico quando houver suprimento de H2O no solo e de K na planta. Esta baixa perda de água pela bananeira é devido à redução na taxa de transpiração, controlada pela abertura e fechamento dos estômatos.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.